Conectado por

Nacional

Empresas de telefonia e internet aderem ao Cadastro Positivo. Entenda

Publicado por

em

As operadoras de telecomunicações passaram a fazer parte, nesta sexta-feira (17/7), do Cadastro Positivo, que reúne informações sobre o histórico de pagamento dos brasileiros.

Continua após a publicidade

As empresas de telecomunicações serão as primeiras, após as instituições financeiras, a compartilhar essas informações com os birôs de crédito operadores do cadastro (Boa Vista, Quod, Serasa e SPC Brasil)

A adesão será formalizada nesta tarde em memorando assinado pelos presidentes do SindiTelebrasil, Marcos Ferrari, e da Associação Nacional do Bureaus de Crédito (ANBC), Elias Sfeir.

Agora, o cliente dos serviços de telecom, que inclui celular, internet, telefonia e TV por assinatura, por exemplo, poderá passar a incluir esses dados em seu Cadastro Positivo.

Para quem tem o costume de pagar as contas regularmente, a notícia é boa, uma vez que o histórico de bom pagador aumenta as chances de conseguir créditos com pouca burocracia e baixas taxas de juros.

Por outro lado, consumidores que por qualquer razão não conseguem arcar com os compromissos podem se prejudicar com a adesão das empresas de telecomunicação.

”O compartilhamento dessas informações irá ajudar aquelas pessoas que não têm acesso ao crédito. Milhares de pessoas no Brasil ainda não estão bancarizadas, mas pagam suas contas de telefone em dia”, comentou o diretor de Regulação do Banco Central, Otávio Damaso.

Participam do acordo todas as operadores associadas ao SindiTelebrasil. Como exemplo: Claro, Oi, Tim, Vivo, GVT, Embratel, Nextel, Telebras, Aerotech e Latin America. Leia aqui toda a lista.

“A capilaridade do setor de telecom, presente em todas as camadas da sociedade, nos permite contribuir com essa iniciativa para facilitar a vida dos brasileiros, especialmente daqueles que têm histórico de bom pagador”, afirmou Ferrari.

“Quanto mais informações chegarem ao banco de dados do Cadastro Positivo, mais benefícios para os credores, os tomadores de crédito, a economia e o bem-estar social”, observou Elias Sfeir, presidente da ANBC.

A estimativa é que em até 90 dias essas novas informações estejam disponíveis no Cadastro Positivo.

METROPOLES