Conectado por

Ji-Paraná

Em um ano, Patrulha Maria da Penha de Ji-Paraná atende mais de 260 vítimas de violência doméstica


Compartilhe:

Publicado por

em

Em um ano de atuação, a patrulha Maria da Penha já atendeu 276 vítimas de violência doméstica em Ji-Paraná, município distante a pouco mais de 370 quilômetros da capital. De acordo com a Polícia Militar (PM), 18 agressores tiveram a prisão preventiva decretada por descumprir a medida protetiva.

A patrulha é composta por duas guarnições. Cada plantão vai às ruas com dois guardas: um homem e uma mulher. Maria da Penha tem como objetivo acompanhar as vitímas de agressões doméstica que possuem medida protetiva expedida pelo judiciário.

Após o consentimento da vítima, cinco rondas são realizadas nas proximidades da residência. Assim, o agressor pode ser flagrado a qualquer momento tentando se aproximar.

De acordo com dados da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), houve um aumento no número de denúncias após a implantação da patrulha Maria da Penha em Ji-Paraná.

No total, foram registradas 654 ocorrências entre junho de 2017 a junho de 2018. Enquanto no mesmo período de 2016 e 2017, houve 590. Os dados mostram também que nenhuma morte foi registrada.

“No início do projeto, o objetivo era minimizar o sofrimento das vítimas. Começamos com apenas dois policiais. Mas, devido à grande demanda, vimos a necessidade de colocarmos mais uma dupla”, disse o comandante do 2° Batalhão de Polícia Militar de Ji-Paraná, João Cena.

“Para o futuro, além de acompanharmos as vítimas, faremos os acompanhamentos às vítimas que em algum caso não tenham a medida”, conclui o comandante.

As mulheres foram adicionadas em um grupo de aplicativo de celular criado pela PM. O objetivo é facilitar ainda mais as denúncias e manter contato direto entre policiais e vítimas.

Conforme João Cena, a Polícia Militar de Rondônia instituiu, com o exemplo de Ji-Paraná, que todos os batalhões realizem o acompanhamento.

“Fizemos um seminário em comemoração a um ano de patrulha no município. Apresentamos aos demais comandantes como funciona na prática a patrulha Maria da Penha. É importante a participação de todos”, finalizou.

As denuncias podem ser feitas 24h através do telefone de emergência da Policia Militar: 190.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento