Conectado por

Acre

Em 15 dias, Acre registra mais de 1,8 mil casos de Covid-19 e 62 mortes pela doença em junho


Compartilhe:

Publicado por

em

Nos primeiros 15 dias do mês de junho foram registrados 1.880 casos novos de Covid-19 e 62 mortes pela doença, segundo dados dos boletins da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre).

Apesar de alto, tanto o número de casos, como de óbitos é menor que o registrado nos 15 primeiros dias do mês anterior, quando foram registradas mais de 2,5 mil infecções pelo novo coronavírus e 83 mortes. Ou seja, uma redução de 26% no número de casos e 25% nas mortes.

Ao todo, o Acre já registra um total de 84.404 casos de Covid-19 e 1.721 óbitos pela doença, desde o início da pandemia, em março do ano passado.

Ainda segundo os dados, em junho do ano passado, três meses após o início da pandemia no estado, nos primeiros 15 dias foram registrados 3.552 casos novos e 117 mortes. Na época, o Acre tinha um total de 9.771 casos e 265 mortes.

O estado está em contaminação comunitária desde o dia 9 de abril, com uma taxa de incidência de e 9.428,7 casos para cada 100 mil habitantes. A taxa de mortalidade em cada 100 mil habitantes é de 199, já a de letalidade – quantidade de mortos dentro dos números confirmados da doença – é de 2%.

Nos últimos dias, a fila de exames em espera apresentou uma baixa considerável. Segundo último boletim, divulgado nessa terça-feira (15), há somente 55 exames de RT-PCR aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. O estado já chegou a ter mais de mil exames na fila, em abril deste ano.

Houve ainda queda no número de internações e na taxa de ocupação dos leitos. Nessa terça (15), 123 pessoas estão internadas, das quais 104 com teste positivo para a Covid-19. Dos 106 leitos de UTI nos hospitais da rede SUS disponibilizados no estado, 38 estão ocupados. Com isso, a taxa de ocupação dos leitos apresentou uma queda de 40% para 36%, entre segunda (14) e terça (15). Os leitos de UTI estão concentrados na capital, com 80 vagas, e Cruzeiro do Sul, com 26.

Mortes mês a mês

O mês mais letal desde o início da pandemia foi abril deste ano, com um total de 267 óbitos. A tendência de alta nos números de mortes vem desde o mês de março, que fechou com 264 óbitos pela doença.

O mês de fevereiro teve 131 mortes e janeiro 72. Maio fechou com 133 mortes pela Covid-19. No dia 28 do mês abril, o estado atingiu o recorde de mortes em 24 horas desde o início da pandemia, com 17 óbitos. O maior número havia sido no dia 23 de junho 2020, com o registro de 16 vítimas fatais pela doença.

O mês com menor número de mortes desde o início da pandemia foi novembro do ano passado – fim da primeira onda – com 30 registros.

Características das vítimas

Os dados da Saúde revelam que das 1.721 pessoas que perderam a vida para a doença até essa terça (15), 998, que é 58% do total, eram homens e os outros 42%, 723, eram mulheres.

O número de pessoas sem comorbidades mortas pela doença também continua aumentando, mesmo que ainda seja menor do que o de pessoas com comorbidade que não resistiram. Do total das vítimas, 966 (56,1%) tinham alguma comorbidade, outras 755 (43,9%) não tinham histórico de outras doenças.

A faixa etária que registra mais mortos, 412, é a de 60 a 69 anos, seguindo também pela 70 a 79 com 394 vítimas. Ao todo, 539 pessoas com idade entre 20 e 59 anos morreram de Covid-19, assim como 19 crianças e jovens entre 1 e 19 anos.

O vírus atinge ainda mais as pessoas que são pardas, segundo o boletim, com 41.912 casos confirmados da doença. Já entre os indígenas, há 979 casos confirmados, o menor na distribuição dos casos confirmados pela cor da pele ou etnia.

Maiores índices já registrados no Acre

  • Recorde de casos em 24 horas: 863 em 2 de abril;
  • Recorde de mortes em 24 horas: 17 mortes em 28 de abril de 2021;
  • Mês com maior número de mortes: abril.

 

G1.globo.com