Conectado por

Saúde

Efeito sanfona traz perigos para a saúde


Compartilhe:

Publicado por

em

Quantas vezes você já fez dieta, conseguiu emagrecer e depois de pouco tempo recuperou o peso perdido? Esse é um sinal do efeito sanfona, que diz muito sobre a forma como nos acostumamos a eliminar o excesso de peso e sobre a necessidade de dietas restritivas.

O efeito sanfona pode ser mais perigoso do que se imagina e envolve um ciclo de perda e ganho de peso em pouco tempo, normalmente como consequência de dietas restritivas, com grupos alimentares excluídos da alimentação, ou devido a tratamentos medicamentosos sem uma mudança real no comportamento alimentar.

É comum acharmos que o risco para a saúde do efeito sanfona é apenas estético, como flacidez, estrias e perda de massa muscular. Porém, segundo pesquisa publicada no New England Journal of Medicine, o hábito de engordar e emagrecer o tempo todo eleva a possibilidade de problemas cardiovasculares e morte precoce. A pesquisa comprovou ainda que existe uma relação direta entre a variação recorrente de peso e o desenvolvimento de problemas como o diabetes e hipercolesterolemia.

Se você precisa ou deseja perder peso, o melhor caminho é alterar os hábitos alimentares e deixar de lado as “fórmulas milagrosas” e as dietas da moda. A dificuldade em manter o peso perdido está relacionada à forma como esse peso foi eliminado: todo peso perdido rapidamente tende a ser recuperado em curto período de tempo – e isso é uma condição que nosso corpo criou para se manter funcionando.

Em média, nosso cérebro precisa de um espaço de tempo de no mínimo um ano para readequar o equilíbrio de peso corporal. Ou seja, a melhor maneira de conquistar de vez o peso ideal é mudando o comportamento alimentar e alterando hábitos de vida para que haja uma perda de peso gradual.

Nosso organismo possui diversos mecanismos que controlam o peso, como fatores hormonais, sinais biológicos de fome e saciedade, controle metabólico e outros que fazem parte desse sistema. Por isso, costumo ensinar meus pacientes sobre o efeito que dietas restritivas geram no metabolismo corporal: a famosa ideia de que quanto menos se come mais rápido emagrecemos é um engano. De fato, fazer dieta ENGORDA!

Como assim nutri? Bem, o corpo sofre adaptações metabólicas e ajustes no gasto calórico serão realizados para manter o organismo funcionando corretamente. Por exemplo, se antes eram necessárias 1.500 calorias para manter o corpo funcionando, após uma dieta com restrição calórica esse gasto energético irá sofrer uma adaptação – e, como consequência, haverá uma diminuição no metabolismo basal.

É por isso que a cada dieta que fazemos, mais difícil fica o emagrecimento, pois nosso corpo foi projetado para manter a reserva de gordura corporal para tempos de escassez – e para isso ele faz adaptações no gasto energético.

Então, como posso emagrecer e manter o peso perdido? A chave para uma perda de peso eficiente está na reeducação alimentar e no equilíbrio mental; comer de maneira adequada respeitando o gasto calórico e as necessidades fisiológicas é essencial para evitar o efeito sanfona.

O comportamento alimentar, a maneira como você se relaciona com a comida, seus pensamentos e sentimentos sobre o ato de comer deverão ser substituídos por novos comportamentos em que um novo hábito de vida deverá acompanhar essa mudança. Assim, a perda de peso deverá ser gradual, permitindo ao corpo realizar as alterações metabólicas necessárias para manter o peso perdido. O segredo é o equilíbrio e a persistência!

 

Minhavida