Conectado por

Acre

Educação de Rio Branco inicia inscrições para creches e pré-escola na segunda (26); veja cronograma


Compartilhe:

Publicado por

em

A Secretaria de Educação de Rio Branco (Seme) publicou o edital para preenchimento de vagas do ensino infantil. O processo vai ser feito em três etapas: inscrições, sorteio e matrículas. As inscrições começam na segunda-feira (26) e se estendem até a sexta (30).

Essas inscrições podem ser feitas pelo site da prefeitura ou em alguma escola do ensino infantil, no caso de moradores da zona rural que não tiverem acesso à internet. Nesses locais, as equipes vão atender os pais das 7h às 11h e das 13h às 17h.

As vagas para a creche são para crianças de 2 a 3 anos completos até o dia 31 de março, e pré-escola I e II para menores de 4 a 5 anos, completos também até o final de março.

Na hora da matrícula, os pais e responsáveis pelos alunos devem apresentar:

  • Certidão de Nascimento original;
  • Cartão do Bolsa Família – Para as crianças que participam do programa;
  • Cópia do laudo médico, para crianças, pais ou responsáveis com deficiência – em caso de necessidade

 

O sorteio das vagas vai ser feito no dia 4 de maio pela internet e também presencialmente nas escolas. As matrículas poderão ser feitas entre os dias 10 e 14 de maio pelos pais ou responsáveis.

“Estamos agora terminando o ano letivo de 2020 no dia 8 de maio. Lembrando que os professores vão tirar 15 dias de férias. Antes do dia 31 vai ter a semana pedagógica, que é normal ter antes de iniciar as aulas”, explicou a secretária de Educação de Rio Branco, Nabiha Bestene Koury.

As informações completas sobre o processo podem ser adquiridas no edital, publicado no site da Prefeitura de Rio Branco.

Evasão escolar

Ainda segundo a secretária, cerca de 253 crianças da rede pública municipal saíram da escola em 2020. Rio Branco tem mais de 24,5 mil alunos inscritos na rede de ensino. Para trazer esses alunos de volta, a Seme vai usar o Programa Busca Ativa, do governo federal.

“Sabemos que é uma modalidade atípica, diferente daquela presencial do aluno com o professor, com colega fazendo a socialização. Muitos se evadiram por não ter acesso à internet, às vezes, vão para sítios, para as colônias. Acham que não têm como acompanhar, muitas vezes os pais não têm tempo de ensinar e acompanhar; muitas das vezes não têm nem conhecimento. Acredito que muitos fatores contribuíram para essa evasão”, lamentou.

G1.Globo.com