Conectado por
Governo de Rondônia

Saúde

Ecocardiograma fetal: O que é, para que serve e quando fazer

Publicado por

em

O que é ecocardiograma fetal?


Continua após a publicidade

ecocardiograma fetal é um exame específico de ultrassom responsável por avaliar o coração do feto a fim de conferir o comportamento hemodinâmico de anomalias congênitas cardíacas, – ou seja, todas as estruturas anatômicas do coração, como câmaras cardíacas, valvas, artérias e veias são avaliadas para identificar se há defeitos cardíacos.

Segundo a coordenadora da Ecocardiografia e Cardiologia Fetal do Hospital e Maternidade Santa Joana, Marina Zamith, o exame também permite identificar como está o ritmo cardíaco do feto quando existe alguma suspeita de alteração dos batimentos.

Indicações

O cardiologista e ecocardiografista pediátrico e fetal Gustavo Fávaro, especialista do Hospital Infantil Sabará, explica que o exame de ecocardiograma fetal é indicado em casos de:

  • História familiar de cardiopatia congênita
  • Doenças metabólica como diabetes, fenilcetonúria e outras
  • Anormalidades extracardíacas fetais
  • Exposição a teratógenos
  • Anomalias cromossômicas
  • Exposição a inibidores de prostaglandinas (ibuprofeno, salicilatos, indometacina)
  • Arritmias fetais
  • Rubéola congênita
  • Hidropsia fetal não imune
  • Doença autoimunes maternas
  • Aumento da translucência nucal
  • Síndromes familiares
  • Gestações múltiplas
  • Fertilizações in vitro
  • Retardo do crescimento fetal
  • Idade materna avançada
  • Suspeita de cardiopatia pelo ultrassom obstétrico.

Quando fazer ecocardiograma fetal

A ecocardiograma fetal pode ser realizada em todas as gestantes se houver indicação médica. “De preferência entre 20 a 26 semanas de idade gestacional e se tiver risco elevado ou suspeita de cardiopatia pode ser realizado entre 14 a 20 semanas de gestação”, explica a cardiologista e ecocardiografista pediátrica e fetal Marina Zamith.

De acordo com o cardiologista Gustavo Fávaro, pode-se dizer que com 8 semanas de gestação o coração fetal já está embriologicamente formado, mas tem sua morfogênese até o fim da gestação, com alterações em sua função, dimensão e estrutura.

“Por isso a ecocardiografia fetal não deve ser vista apenas como um exame pontual, tem também utilidade de forma seriada, para acompanhar o caráter evolutivo, anatômico e fisiopatológico que algumas cardiopatias podem ter”, ressalta o especialista.

Como é feito o exame

O exame é feito da mesma forma que o ultrassom obstétrico. A cardiologista Marina pontua que a única diferença está no especialista que realiza a ecocardiograma fetal e o programa específico do equipamento de ultrassonografia.

A análise é feita de forma mais sistemática e detalhada. “Os benefícios do diagnóstico da cardiopatia em vida fetal são evidentes e variáveis para cada tipo e apresentação da anomalia”, pondera o cardiologista Gustavo.

Vale ressaltar que, por utilizar a mesma técnica do ultrassom, é um exame que não oferece riscos ao bebê.

Resultados do exame

A cardiologista e ecocardiografista pediátrica e fetal, Marina Zamith esclarece que se houver uma alteração cardíaca no exame os pais devem passar por um aconselhamento cardiológico com um especialista em cardiologia pediátrica.

“Esse profissional é quem irá indicar o melhor local de nascimento e programar o tratamento e acompanhamento necessários. Alguns defeitos cardíacos podem necessitar de tratamento intraútero”, completa.

Além disso, em cardiopatias que apresentam-se de forma ativa pode haver necessidade de tratamento com drogas antiarrítmicas, de antecipação do parto ou intervenção cirúrgica fetal.

Já os fetos com cardiopatias graves são encaminhados para centros de referência em cardiologia pediátrica e cirurgia cardíaca. “Com uma adequada recepção ao recém-nascido cardiopata podemos oferecer uma transição entre a vida fetal e pós-natal muita mais natural e limitar os fatores prejudiciais, aumentando a sobrevida e evitando a deterioração clínica, consequentemente a conduta errada, atraso diagnóstico ou transferência de um cardiopata instável”, informa o cardiologista e ecocardiografista pediátrico e fetal, Gustavo Fávaro.

Quanto custa o ecocardiograma fetal

O valor do exame pode variar entre R$ 400 a R$ 800 na rede privada. Mas é coberto pela maioria dos planos de saúde.

Referências

  • Marina Maccagnano Zamith, Coordenadora da Ecocardiografia e Cardiologia Fetal do Hospital e Maternidade Santa Joana – CRM/SP: 60808
  • Gustavo Antonio Guimarães Fávaro, cardiologista e ecocardiografista pediátrico e fetal do Hospital Infantil Sabará – CRM: 109302.

Minha Vida