Conectado por

Mato Grosso

Drone gigante é construído em MT para reflorestar áreas degradadas

Publicado por

em

Um drone gigante apropriado para jogar sementes e reflorestar áreas degradadas foi construído em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, durante o Workshop Dronecoria Brasil. O evento teve o apoio do Ministério Público Estadual (MPE), que divulgou informações sobre o equipamento.

O drone passou por testes (voos demonstrativos) e voltará a operar em 2020 com objetivo de auxiliar na recuperação de áreas degradadas.

A ideia é utilizar o equipamento inicialmente em áreas experimentais — Foto: MP-MT

A ideia é utilizar o equipamento inicialmente em áreas experimentais — Foto: MP-MT

Construído em madeira compensada, com aproximadamente 1,5 metro de diâmetro e seis motores, o drone pesa 9 kg e tem capacidade de carregar mais 10 kg em sementes.

A ideia é utilizar o equipamento inicialmente em áreas experimentais.

O drone consegue cobrir uma área de um hectare, que corresponde a 10 mil metros quadrados, em apenas 10 minutos.

Drone consegue cobrir uma área de 10 mil metros quadrados em apenas 10 minutos — Foto: MP-MT

Drone consegue cobrir uma área de 10 mil metros quadrados em apenas 10 minutos — Foto: MP-MT

A ideia partiu do engenheiro da computação espanhol Lot Amorós, idealizador do projeto “Dronecoria”, que tem por objetivo “projetar um drone open source capaz de plantar milhares de árvores e encorajar milhares de pessoas a plantar milhares de árvores” e, assim, contribuir para preservação do clima e da biodiversidade contra as mudanças climáticas.

O drone construído em Rondonópolis possui uma configuração diferente do espanhol.


Programa custou R$ 351 mil, oriundo de acordo entre MP e empresário do setor agropecuário — Foto: MP-MT

Programa custou R$ 351 mil, oriundo de acordo entre MP e empresário do setor agropecuário — Foto: MP-MT

O Workshop Dronecoria Brasil foi realizado no mês de novembro, com atividades em Rondonópolis e Itiquira e compõe o “Programa de Recuperação de Áreas Degradadas no Sudeste de Mato Grosso: Capacitação Tecnológica e Regularização Ambiental de Áreas Públicas e Privadas (Prorad)”, desenvolvido pelo campus da UFMT de Rondonópolis, com o apoio do MP.

O programa custou R$ 351 mil e foi viabilizado pelo Ministério Público de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça de Itiquira, após celebração de um acordo extrajudicial firmado com uma empresa agropecuária na região.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *