Conectado por

Saúde

Dores nas articulações: Dráuzio Varela alerta para golpe do remédio sem aprovação da Anvisa


Compartilhe:

Publicado por

em

A dor nas juntas aflige mais de quatro milhões de brasileiros. O problema pode ser desde um simples inconveniente que não atrapalha as atividades diárias até dores intensas que deixam o paciente incapacitado.

Por isso, a chegada de um novo tratamento que fortalece os ossos e acaba de uma vez por todas com as dores nas juntas, foi amplamente comemorado entre a comunidade científica.

Entretanto, o que era motivo de comemoração se tornou uma grande dor de cabeça para as autoridades.

O novo suplemento se tornou uma febre, já que é usado tanto por quem sente dores nas articulações como por pessoas que ainda não sofrem do problema mas desejam fortalecer os ossos para prevenir problemas como atrite, osteoporose e artrose.

Com isso, os estoques do suplemento nas farmácias e consultórios se esgotaram. E a partir desse momento golpistas passaram a comercializar inúmeros remédios para a dor nas articulações que, na verdade, não surtem qualquer efeito.

Pior: eles sequer foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável por atestar a segurança de remédios, suplementos e alimentos.

Autoridades de fiscalização fazem alerta

O resultado é que milhares de pessoas que compraram esses produtos sem o aval da Anvisa desperdiçaram tempo e dinheiro e não alcançaram as melhorias esperadas. Elas continuam sentindo dor nas articulações.

Os órgãos receberam dezenas de queixas de pessoas que se sentiram lesadas. A audácia dos farsantes é tamanha que chegam a usar até mesmo a imagem de pessoas famosas para tentar convencer os clientes desavisados a adquirir seus produtos.

Drº Dráuzio Varella faz recomendações

Um dos golpes mais comuns envolve até o médico Dráuzio Varella. Em entrevista ao Fantástico, da Globo, ele desabafou.

“Essas pessoas são estelionatários. Ninguém deve tomar uma coisa dessas. Comprou, joga no lixo porque não dá para confiar no que eles estão vendendo. O pior é que tenho recebido várias pessoas que me mandam e-mail, [mensagens de] WhatsApp, dizendo que compraram esse negócio”, alerta o médico.

Isso não significa, entretanto, que quem sofre com dores nas juntas deve simplesmente aceitar a dor e viver infeliz, ou gastar absurdos de dinheiro com remédios cheios de efeitos colaterais.

O segredo é saber identificar quais são os tratamentos reais que podem fazer efeito de verdade e que tem sua eficácia garantida pela Anvisa. Quer saber como? Confira as dicas.

Como saber se o tratamento funciona de verdade

1. Aprovação da Anvisa

Assim como os EUA tem a Food and Drug Administration, o Brasil também tem um órgão que fiscaliza a eficácia dos tratamentos comercializados em território nacional. Esse órgão é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Anvisa tem como função primordial a promoção da saúde da população, atuando no controle sanitário de diversos produtos, tais como medicamentos, alimentos e cosméticos.

Portanto, antes de comprar qualquer tipo de tratamento, cheque se há registro na Anvisa.

O registro, de acordo com a própria Anvisa, assegura que o tratamento respeita a legislação sanitária e atende aos critérios estabelecidos em leis e à regulamentação específica estabelecida pela Agência.

2. Ingredientes certos

Muitos falsificadores usam ingredientes sem qualquer relação com o tratamento de dores nas juntas e articulações. Por isso, antes de comprar, confira os ingredientes do produto.

A ciência conhece quatro ingredientes que reconhecidamente fortalecem os ossos e, se tomados na quantidade certa, não apresentam efeitos colaterais. São eles:

  • Cálcio

    O cálcio é essencial para os ossos. Na infância e na adolescência, esse mineral é responsável pela formação do esqueleto. Já na vida adulta, esses ossos vão se renovando, o que exige um fornecimento constante de cálcio.

  • Vitamina D

    Para viajar pelo organismo e ser depositado nos ossos, o cálcio depende de vitamina D.

  • Zinco

    O zinco estimula a produção do osteoblasto (célula que leva cálcio para o osso) e diminui a produção de osteoclásticas (células que retiram cálcio do osso).

  • Magnésio

    Inibe a formação de cristais que fragilizam os ossos.

3. Recomendação de médicos

Por fim, use apenas produtos que tenham sido recomendados por médicos. Uma das maiores autoridades em doenças crônicas do Brasil é o médico Patrick Rocha. Conversamos com ele sobre o assunto.

“O Drº Dráuzio está corretíssimo, é preciso ficar atento para não levar gato por lebre. É por isso que atualmente há apenas um tratamento que eu recomendo para tratar das dores nas articulações e nas juntas: o Multicalcium. Receito para todos os meus pacientes com osteoporose ou idade avançada e os resultados são impressionantes”, diz.

Estudo de caso

Uma das vítimas dos golpistas foi o comerciante Bruno Falcão, de 60 anos, morador de São Paulo.

“Gastei milhares de reais para comprar cápsulas que prometiam acabar com minhas dores, mas não adiantaram nada. De manhã eu mal conseguia levantar da cama. Depois que eu assisti a entrevista de Dráuzio Varela no Fantástico que passei a pesquisar soluções que funcionassem de verdade para acabar com essas dores. E foi aí que descobri a existência do Multi Calcium. Comprei principalmente por conta das recomendações do Drº Rocha, mas sem muita esperança de que fosse dar resultado.

Aí, em uma manhã, depois de 10 dias de tratamento, o despertador tocou, eu levantei, fui até a sala e me agachei parta brincar com meu cachorro. Trinta minutos depois é que eu me toquei: já fazia alguns anos que eu não conseguia brincar com meu cachorro no chão. A dor nas articulações tinha sumido, celebra.

Quem pode tomar Multi Calcium

Os ingredientes do produto são 100% naturais, por isso não apresentam qualquer contraindicação, desde que sejam seguidas as orientações dos especialistas.

Onde encontrar Multi Calcium

Com o grande aumento na demanda pelo Multicalcium, o fabricante optou por não vendê-lo em farmácia, a fim de evitar sobrecarga nos estabelecimentos e para evitar que aproveitadores enganem a população vendendo suplementos sem autorização da Anvisa.

Fonte: Foco Saude