Conectado por

Turismo & Laser

Discos, empadas, chopes e bochechas: um roteiro pela rua Visconde do Rio Branco


Compartilhe:

Publicado por

em

Vinil Velho: um lugar surpreendente numa rua charmosa. Fotos: Hugo Harada.

O Visconde do Rio Branco (1819-1880) foi um político do Brasil imperial.

Calvo e com suíças esvoaçantes, foi um dos artífices da tríplice aliança que declarou Guerra ao Paraguai (1846) e articulador da Lei do Ventre Livre (1871), que tornava libertos os filhos nascidos de mulheres escravizadas. Um dos “vultos da pátria” é nome de logradouros em centenas de cidades brasileiras.

Em Curitiba, a rua batizada em sua homenagem é uma das mais charmosas e agitadas da cidade. Uma rua essencialmente comercial, mas com alguns dos prédios mais importantes da arquitetura curitibana, como o edifício Paraná.

Uma caminhada pelos seus quase dois quilômetros de extensão, desde um beco sem saída no centro até a esquina com a avenida Manoel Ribas, nas Mercês, é um convite à boa gastronomia e diversão. 

Entre novos e escondidos lugares e pilares da boemia e gastronomia, o Guia Gazeta do Povo listou algumas opções de lugares para você visitar durante um passeio pela Visconde:

Café Supernova

Uma das três lojas da rede de cafeterias no centro de Curitiba que trabalham com o conceito de “café para a viagem”, o Supernova Coffe To Go. (número 1687) abre de segunda a sexta das 12h às 18h. Não há lugares para se sentar, mas há cafés especialíssimos com grãos do Norte do Paraná, do Sul de Minas Gerais e do Espírito Santo, além dos importados de Ruanda, Etiópia, Quênia, Tanzânia e Colômbia.

 Piano Bar – Hotel Duomo

No térreo do Hotel Duomo (número 1710), um dos mais antigos do centro de Curitiba, funciona (quase escondido) um charmoso Piano Bar. Com móveis de couro e madeira, o bar abre todas as noites ao público em geral e aos hóspedes do hotel – tem música ao vivo de terça a quinta-feira, das 19h30 as 22h30.

Rua 24 Horas

A parte da Rua 24 Horas que fica na rua Visconde do Rio Branco tem um estúdio de tatuagem, um restaurante de comida italiana, Pezzo, que abre no almoço e no jantar, uma tabacaria, que é ponto de encontro da comunidade libanesa, e a barbearia Visconde, uma das pioneiras da era das barbearias retrô que espalharam pela cidade.

Cafe Dell’Arte

O café fica dentro da galeria Glaeser, imóvel onde funciona o comércio de rua mais antigo do Paraná. Aconchegante e tranquilo, o café vende salgados assados de produção própria (empadas e empanadas de vários sabores), doces caseiros e também serve pratos executivos no almoço, com grelhados e saladas, e massas produzidas na casa.

Spaghetto

Inaugurado em 1988, a cantina italiana (número 1302) é um dos endereços clássicos da gastronômia curitibana. O filé que leva o nome da casa – um belo filé-mignon grelhado, escoltado por talharim verde com brócolis – criado pelo chef João Buffara – é cheio de personalidade; um dos favoritos da cidade. A casa tem um salão no piso superior e um espaço mais intimista no subterrâneo, com lareira, paredes originais de pedra, piso rústico e arandelas. A madeira em meia parede reforça ainda mais a atmosfera de taverna.

Ao Distinto Cavalheiro

Um balcão, cinco mesas e uma chopeira fizeram a lenda deste autêntico botequim na esquina da Visconde com a Saldanha Marinho. O bar e chão quadriculado e decorado com memorabília de elegância masculina são ponto de encontro de happy hour do Centro. Seja no balcão ou na calçada em frente ao boteco. Os chopes magistralmente tirados pelo garçom Dermival Moreira e as costelinhas de porco assadas são o destaque do cardápio. O atual dono, o arquiteto Carlos Guimarães, mantém a tradição da principal festa de grito de Carnaval da cidade.

Classic Laser

A tradicional loja de discos mudou-se para a Visconde do Rio Branco na semana passada. O proprietário, Roberto, escolheu um imóvel proximo a esquina com a “rua do chorões” (Fernando Moreira) pela tranquilidade que não tinha em seu antigo endereço. “A vida é cíclica e hoje o vinil voltou a ser um bom negócio”, filosofa. Entre os destaques do acervo, alguns discos raros da musa Marilyn Monroe cantanbdo clássicos do jazz.

Criadas em 1954, por Antonio Nerone Caruso, as empadas que levam o nome da família deveriam ser tombadas como patrimônio gastronômico da cidade. Feitas da mesma maneira há mais de seis décadas, com massa folhada no lugar da tradicional massa podre, recheadas com palmito e camarão são um clássico curitibano. Leia mais sobre as empadas Caruso aqui. Fica no número 877.

Vinil Velho

Mistura de loja de discos de vinil, bar, café e clube noturno, uma visita a Vinil Velho (número 877-B), no dia certo, talvez seja o ponto alto de uma passeio pela rua Visconde do Rio Branco. Nesta segunda-feira (31), por exemplo, a casa vai fazer uma festa em seu “inferninho”, o pequeno porão do imóvel. Como de costume, a festa deve tomar a calçadas. Cheia de detalhes e segredos, do cardápio de cervejas e petiscos à prateleira de discos, a loja é uma visita obrigatória.

O Visconde Pub

O caçula dos bares da da rua ostenta um belo balcão para quem curte este espaço em um bom pub (número 823). Também serve chopes artesanais a preços menores do que os dos vizinhos (R$ 6,50 a caneca de 500 ml) e porções de linguiças apimentasdas, além de petiscos clássicos de boteco. O dono, Luciano Gonçalves, trabalha para consolidar a casa como espaço para a música ao vivo. Todas as quintas-feiras tem rock com os irmãos Glauco e Giovanni Caruso.

O Pensador

24 torneiras de chopes diferentes, carta de vinhos e cardápio respeitáveis, paredes repletas de quadros com temártica de rock e jazz e programação musical de segunda a sabado com os melhores músicos de jazz da cidade. Tudo isso torna o Pensador um dos grandes bares da cidade e um dos portos seguros da rua Visconde do Rio Branco, no número 766.

La Boca Gastrobar

Com cinco anos de atividade, o La Boca (número 367) pode ser enquadrado na categoria de novos clássicos. Tocado artesanalmente pelo chef Guti Ribas o bar se destaca pelo cardápio criativo que depende dos ingredientes que Ribas consegue, sempre frescos, para o dia. Bochechas de linguado e fígado de tainha foram algumas ofertas recentes do cardápio. Aos sábados, o almoço há sempre uma progrqamação especial como wokadas ou churrascos do lado de fora do bar. Numa das paredes, há um painel pintado pelo artista Tom + Amor.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *