Conectado por
Governo de Rondônia

Featured

Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem na infância e adolescência

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Os problemas de aprendizagem afetam negativamente a vida escolar, familiar, social e psíquica de muitas crianças e adolescentes, causando sofrimento e perda de autoestima. Sofrem, também, os pais e cuidadores, sentindo-se impotentes frente às dificuldades do filho.

Entraves no processo de aprendizagem possuem múltiplas causas, incluindo metodologia de ensino inadequada às necessidades da criança, fatores de ordem emocional e/ou dificuldades de aprendizagem secundárias a outros quadros diagnósticos. Entre estes quadros que podem levar a dificuldades de aprendizagem, estão algumas síndromes genéticas, como Síndrome de Down e Síndrome do X Frágil, entre outras, transtornos do espectro autista, transtornos psiquiátricos, deficiência intelectual e patologias neurológicas diversas, inclusive Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Imagem relacionada

Já os Transtornos de Aprendizagem são específicos em leitura (dislexia), escrita (disgrafia e disortografia) ou matemática (discalculia), e possuem base genética, ocorrendo em indivíduos que apresentam inteligência normal ou superior e rendimento escolar significativamente abaixo do esperado para sua idade, escolaridade e capacidade intelectual.           

Uma avaliação psicopedagógica cautelosa é o primeiro passo para diagnosticar a causa do problema de aprendizagem e definir o plano de intervenção para tratamento clínico. Além de avaliar e intervir clinicamente, o psicopedagogo trabalha em conjunto com outros profissionais que atendem a criança, como médicos, psicólogos ou fonoaudiólogos, conforme o caso. Também atua em parceria com a escola, de modo à melhor adequar o ensino às necessidades do paciente, levando em conta suas dificuldades e, principalmente, suas potencialidades.  

Dúvidas frequentes: 

Quando é necessário levar meu filho ao psicopedagogo?

Normalmente, as crianças ou adolescentes são encaminhadas ao psicopedagogo quando apresentam dificuldades de aprendizagem, tanto na etapa de alfabetização como entraves no desenvolvimento das habilidades de leitura, escrita e matemática. No caso de crianças com alterações neurológicas, síndromes genéticas, transtornos psiquiátricos ou outras patologias que interferem nas aprendizagens, o encaminhamento ao psicopedagogo deve ser precoce, de modo a minimizar o impacto destas patologias na vida escolar da criança. 

Há como prevenir os problemas de aprendizagem?

Sim, o trabalho psicopedagógico preventivo com crianças em idade pré-escolar, de modo a prepará-las para o processo de alfabetização, pode evitar ou minimizar futuros problemas de aprendizagem. Com crianças e adolescentes em idade escolar, desenvolve potencialidades e otimiza as aprendizagens.  

Como se dá o trabalho psicopedagógico clínico?

Inicialmente, é realizada a avaliação psicopedagógica, necessária para o psicopedagogo detectar os problemas de aprendizagem apresentados pelo paciente, bem como identificar suas causas, considerando os múltiplos fatores envolvidos no processo de aprendizagem. Elabora-se, então, o laudo psicopedagógico que, quando necessário e autorizado pelos pais, pode ser disponibilizado à escola. Se confirmada a hipótese de dificuldade ou transtorno de aprendizagem, um plano de trabalho para tratamento psicopedagógico é elaborado e discutido com os pais. 

O psicopedagogo irá à escola onde meu filho estuda? Por quê?

Sim, inicialmente o psicopedagogo entrará em contato com a equipe pedagógica da escola para coletar informações sobre o desempenho escolar da criança/adolescente que ajudarão no processo de avaliação. Durante o tratamento, o psicopedagogo fará a mediação com a escola, de modo a adaptar o currículo escolar às necessidades do paciente. 

O psicopedagogo fará contato com os outros profissionais que atendem meu filho?

Sim, o psicopedagogo deve trabalhar em rede com os diversos profissionais que atendem a criança/adolescente, fazendo contato com pediatras, neurologistas, geneticistas, psiquiatras, psicólogos, fonoaudiólogos, professores particulares e outros profissionais envolvidos com o paciente. A psicopedagogia é interdisciplinar por natureza.   

Como evolui uma criança ou adolescente submetido a tratamento?

A evolução do paciente, bem como o tempo de tratamento, depende da causa e do tipo de problema diagnosticado no processo de avaliação. Em geral, as dificuldades de aprendizagem tem um prognóstico melhor do que os transtornos, que exigem uma intervenção mais intensiva e por mais tempo. Seja qual for o caso, a intervenção psicopedagógica clínica visa à reabilitação do paciente, de modo que ele atinja o mais alto nível funcional possível, fazendo uso de suas potencialidades para minimizar o impacto de suas dificuldades e, desta forma, melhorar seu desempenho escolar.

Referências Bibliográficas: 

BOSSA, Nádia A. A Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática. 2ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

ROTTA, N. T.; OHLWEILER, L; RIESGO, R. S. Transtornos da aprendizagem: abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2006.

WEISS, Maria L. L. Psicopedagogia Clínica – uma visão diagnóstica dos problemas de aprendizagem escolar. 13ª ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *