Conectado por

Municípios

Diálogo com municípios é a grande alavanca do governo no combate ao novo coronavírus em Rondônia

Publicado por

em

A prontidão do governo estadual, mesmo na solução de antigas pendências na saúde pública, resultou no próspero diálogo com prefeitos e assessores desde o início da pandemia mundial da Covid-19, em março deste ano.

Continua após a publicidade

Aliada às parcerias, a intercessão em busca de recursos federais motivou prefeitos e amenizou situações críticas.

A Associação Rondoniense de Municípios (Arom) reconheceu as ações governamentais, na Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), para diminuir o sofrimento da população desde o início à fase mais aguda do contágio.

A entidade participou da primeira videoconferência mobilizando autoridades estaduais e municipais em abril, quando estava em pauta a oferta de leitos e de insumos.

De lá para a atual fase de estabilização da doença e a retomada de atividades comerciais, a resposta governamental às necessidades de prefeituras avançou ainda mais.

“O diálogo amigável com os prefeitos foi muito importante durante a pandemia, porque  ficou difícil para nós todos”, observou o secretário adjunto da saúde estadual, Nélio Santos.

Segundo ele, nas conversas, os gestores relataram as dificuldades em obter insumos, medicamentos e, principalmente, equipamentos. “Mesmo com as dificuldades na aquisição de diversos produtos neste período de pandemia, sempre estivemos dispostos a ajudá-los”, disse Santos.

E assim foi feito. Santos mencionou como exemplo o apoio ao Hospital Regional de Guajará-Mirim, que recentemente recebeu equipamentos. “Para lá, a Sesau enviou uma força-tarefa no momento em que os casos da doença e consequentes óbitos estavam em alta; da mesma forma, fizemos esse trabalho com São Miguel do Guaporé, sempre a pedido do governador Marcos Rocha, no sentido de que fôssemos parceiros”, assinalou o secretário-adjunto.

“A força-tarefa fez diminuir o número de casos do novo coronavírus naquela região”, destacou.

Desde abril, em videoconferências, dirigentes municipais relataram sua realidade, mostrando em que situação estava sua possibilidade em atender o agravamento do novo coronavírus. Foi naquele mês que eles dimensionaram a demanda necessária de cada um.

Sesau distribuiu lote de máscaras de proteção NR95

Em seguida, a Sesau iniciou a distribuição do primeiro lote de 75 mil máscaras de proteção NR95 e de outros equipamentos, entre os quais, óculos, luvas, avental e toucas.

TRANSPARÊNCIA – No início de julho, a Associação Rondoniense de Municípios (Arom) destacou a transparência estabelecida pelo governo, com novos critérios para enquadramento dos municípios. Rondônia já estava em 1º lugar no ranking de testes para o diagnóstico de Covid-19.

TEMPO TRABALHADO – Em abril, quando já se computavam dois meses de teletrabalho, o governo estadual fazia intercâmbio de informações entre 16 mil participantes. Totalizava, então, 1.890 videoconferências alcançando um quantitativo de 190 mil minutos. O Comitê de Combate ao Coronavírus reuniu 837 participantes em reunião online.

APOIO DO CONASS – Em maio, técnicos do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) acertaram ações para a região Central de Rondônia. Dezessete gestores de saúde municipais participaram, todos eles ligados à 1ª Gerência Regional de Saúde em Ji-Paraná. Debateram o fluxo de disseminação, atendimentos médicos, quarentena, internações em UTI, condução da vacinação de pessoas de grupos de risco para o vírus H1N1 e atendimentos nas maternidades.

ATENÇÃO BÁSICA – No período da pandemia, prefeitos rondonienses intensificaram a aplicação de protocolos, visando ao reforço à atenção básica.

 TRABALHO CONJUNTO – Para a presidente da Arom, prefeita Gislaine Lebrinha, a reclassificação dos municípios para a reabertura do comércio “só foi possível pelo diálogo e pelo trabalho conjunto”. A Arom apresentou ao governo propostas de mudanças, conforme as peculiaridades dos municípios. O que resultou na edição do decreto que considera a taxa de casos ativos e leitos de UTI como fator determinante para avaliar se município será alocado na fase 1, 2, 3 ou 4. A primeira foi a fase mais restritiva.

MAIS DINHEIRO – Mediante plano de ação dos municípios rondonienses, o governo estadual iniciou a liberação dos recursos, referentes a emenda coletiva da bancada federal para prosseguir no enfrentamento da Covid-19, no valor de R$ 11 milhões.

A Secretaria de Finanças liberou outra parcela única no valor de R$ 3,7 milhões aos 52 municípios, recursos do Fundo Nacional da Saúde (FNS) enviado para o Estado destinados aos municípios, totalizando R$ 14,7 milhões.

Secom – Governo de Rondônia