Conectado por

Cuiabá-MT

Dia Nacional do Teste do Pezinho: hospital alerta para a importância do exame


Compartilhe:

Publicado por

em

Hospital alerta para a importância do Teste do Pezinho em recém-nascidos

O Teste do Pezinho, que é realizado no Hospital e Maternidade Femina, em Cuiabá, é um dos exames mais importantes para detectar doenças em recém-nascidos e tratá-las de forma precoce. O recomendado é que seja realizado entre o terceiro e o quinto dias após o nascimento da criança. Neste domingo (06.06), comemora-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho, data que tem como propósito esclarecer e alertar as famílias sobre a importância da realização do exame.

A coleta é feita a partir de amostra de sangue obtida de um furo no calcanhar do bebê e pingada em um papel de filtro, encaminhada após para análise. Todos os bebês nascidos no Brasil tem o direito de realizar gratuitamente, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O teste básico rastreia seis doenças. Porém, existem várias outras versões desse teste oferecidos por laboratórios e hospitais da rede privada. Esses testes são chamados de teste do pezinho ampliado (expandido) e diferem entre si quanto às técnicas utilizadas e o número e grupo de doenças analisadas.

Como qualquer teste de triagem neonatal, o objetivo é rastrear doenças graves com tratamento disponível e encaminhar os bebês com resultado alterado para testes diagnósticos específicos. O diagnóstico precoce acompanhado do tratamento direcionado reduz ou impede as sequelas associadas às doenças.

“O teste do pezinho ajuda a diagnosticar doenças metabólicas, genéticas e infecciosas que podem levar à deficiência intelectual e comprometer desenvolvimento físico da criança”, destaca a pediatra e neonatologista Fernannda Pigatto Vilela, diretora-técnica da Femina.

Segundo ela, as  versões ampliadas do teste utilizam uma técnica chamada de espectrometria de massas em tandem (MS/MS), que nos testes de triagem possibilita o rastreamento de um grupo de doenças chamadas “Erros Inatos do Metabolismo”, que incluem aminoacidopatias, distúrbios do ciclo da uréia, distúrbios dos Ácidos Orgânicos, distúrbios da Beta Oxidação dos Ácidos Graxos e Doenças Lisossômicas.

“As versões ampliadas do teste também podem incluir testes de sorologia para detecção de doenças infecciosas, como toxoplasmose congênita, Citomegalovírus, Sífilis congênita, Doença de Chagas e HIV”, completa a médica, ao alertar que muitos pais não submetem seus filhos ao teste do pezinho por desconhecer a sua importância.

O Ministério da Saúde aponta que desde 1992, o teste se tornou obrigatório em todo o país e, em 2001, o órgão criou o Programa Nacional de Triagem Neonatal (Portaria GM/MS n.º 822, de 6 de junho de 2001), incorporado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo que mais de 80% das crianças nascidas em território nacional passam pela triagem neonatal.

Atualmente, o exame simples é feito de forma gratuita em todos os bebês recém-nascidos. Recentemente, o Congresso Nacional aprovou um projeto que aumenta para 50 as doenças rastreadas (Lei 14.154, sancionada no último dia 02 de maio). Com a aprovação da nova lei, a lista de doenças diagnosticadas pelo teste realizado na rede pública vai passar de seis para até 50 doenças. A ampliação deve começar em maio de 2022.

Sobre a Femina
O Hospital e Maternidade Femina atua há 41 anos em Cuiabá, nas áreas de Pediatria, Obstetrícia, Clínica-Geral e pronto atendimento com plantão 24 horas. Ainda fazem parte de sua estrutura UTI adulta, UTI Neonatal e UTI pediátrica.

ASSESSORIA DE IMPRENSA HOSPITAL FEMINA

Luciane Mildenberger