Conectado por

Saúde

Dia Mundial da Saúde: nutrição adequada é aliada para reforçar a imunidade


Compartilhe:

Publicado por

em

Há mais de um ano as atenções em todo o mundo estão direcionadas à saúde das pessoas. O enfrentamento à pandemia provocada pelo coronavírus está mudando hábitos de vida e reforçando a necessidade de cuidados especiais com a alimentação, o bem-estar e a higiene pessoal e dos espaços. Além das diversas ações que visam reduzir o contágio e aumentar a prevenção, as pessoas têm buscado formas de fortalecer o sistema imunológico.

Já é senso comum a importância de uma alimentação saudável e equilibrada, rica em alimentos in natura e nutrientes variados, além da prática de atividades físicas para garantir uma boa saúde e reforçar a imunidade. Porém, o sistema imunológico é altamente complexo, depende de inúmeros fatores, incluindo uma flora intestinal saudável, por exemplo. Também possui demandas diferentes de acordo com características individuais como idade, estilo de vida, saúde geral, região onde a pessoa vive e os hábitos alimentares. Para atender a essas diversas particularidades é interessante contar com alguns aliados, como alimentos e bebidas fortificados para o dia a dia, além de suplementos dietéticos que ajudam na manutenção da saúde.

O uso de produtos de suporte imunológico tem sido bem-sucedido e já oferece um apoio mais amplo, que vai além dos suplementos de vitamina C e zinco, que são os mais conhecidos. Muitos nutrientes têm sido amplamente estudados pelo negócio de Nutrição e Saúde da BASF por sua relevância para o desenvolvimento, manutenção e funcionamento do sistema imunológico humano e a contribuição para uma vida mais saudável.

Entre o grupo de nutrientes, por exemplo, temos a Vitamina D que desempenha papel importante no metabolismo para uma resposta imunológica. Além de regular a absorção de cálcio junto com a Vitamina K2 e desempenhar um papel crucial na saúde dos ossos ao longo da vida, foi demonstrado que é fundamental para o mecanismo de defesa do organismo para a recuperação de doenças infecciosas, como as respiratórias, tuberculose, doenças inflamatórias como asma, alergias e doenças inflamatórias intestinais. A chamada “vitamina do sol” é produzida na pele, desde que exposta ao sol no período certo e por 10 a 20 minutos ao dia. Na alimentação, ela ocorre naturalmente apenas em alguns alimentos, como peixes gordurosos e gema de ovo. Já havia uma redução natural dessa vitamina com o estilo de vida mais urbano, mas o cenário acabou se agravando com a necessidade de isolamento social como forma de prevenção na pandemia e a consequente privação da exposição ao sol. A suplementação deve ser individual, com base na avaliação prévia e acompanhada por um médico com base na necessidade de cada organismo.

Já a Vitamina A é necessária para desenvolver a função imunológica saudável, mantendo as barreiras das células epiteliais. Ela apoia funções que garantem rápida resposta às agressões e ajusta a expressão gênica de células T reguladoras durante a resposta imune. A Vitamina E funciona como antioxidante, ajudando a prevenir o dano nas membranas celulares e no revestimento epitelial. A manutenção da membrana celular é essencial para uma resposta imunológica saudável.  Os carotenoides também agem como antioxidantes e são capazes de modular o processo inflamatório. Os betacarotenos estimulam os linfócitos e células de defesa naturais, melhorando assim a resposta imunológica mediada por células. A vitamina B2, por sua vez, é importantíssima no processo de desenvolvimento das células “killers”, responsáveis no ataque aos antígenos, como os vírus.

Licopeno, Luteína, Fitoesteróis e ácidos graxos ômega 3 também fazem parte do grupo de nutrientes que favorecem de forma importante os mecanismos imunológicos. Todos eles estão disponíveis em uma alimentação saudável e nutritiva e podem ser complementadas por alimentos fortificados e suplementos nutricionais para garantir os níveis adequados para proteção.

Ligia Cerdeira