Conectado por
Governo de Rondônia

Amazonas

Deputada Alessandra quer mão de obra de Coari em empreendimentos no município

Publicado por

em


Continua após a publicidade

A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) ampliou para o município de Coari (a 370 quilômetros de Manaus) a luta pela contratação de mão de obra regional em empreendimentos que usam trabalhadores do setor de montagem e manutenção industrial. Empresas contratadas pela Petrobras e Eletrobras não estariam atendendo à recomendação de empregar trabalhadores no Estado, o que tem gerado revolta entre sindicatos, cooperativas e entidades de representação da categoria.

O assunto foi tema de audiência pública no auditório do Campus da UFAM de Coari no dia 15 de junho, com a presença de dezenas de trabalhadores, além de autoridades municipais e estaduais, entre elas o represente da OAB-AM para causas trabalhistas, advogado Marcelo Ramos. O mesmo debate tinha acontecido no mês de abril, no plenário Ruy Araújo da Assembleia Legislativa do Amazonas.

“Em Coari, o que está acontecendo é que centenas de trabalhadores de outros Estados estão ocupando as vagas de mão de obra especializada, sendo que dentro do próprio município existem centenas de trabalhadores capacitados para ocupar esses postos e estão desempregados há anos”, relatou a deputada em pronunciamento na sessão desta terça-feira, 26 de junho.

Na audiência, a deputada recebeu o apoio da Secretaria de Municipal de Meio Ambiente, que se comprometeu em colaborar com a defesa dos empregos de soldadores, funileiros, caldeireiros, mecânicos industriais, eletricistas, encarregados e outros profissionais. Eles buscam espaço na Base do Rio Urucu da Petrobras e também nas obras da Termelétrica a Gás que a Eletrobras Distribuição Amazonas está construindo em Coari, com previsão de quase R$ 500 milhões de investimentos.

“Nós precisamos que o Governo atenda a um requerimento de indicação que foi enviado por mim no qual a gente solicita uma legislação, através do IPAAM, na concessão de licença ambiental para que ela só seja concedida mediante a partir de uma contrapartida social de geração de emprego no município”, enfatizou a líder do MDB na Assembleia Legislativa.