Conectado por

Saúde

Depressão pós-sexo: Conheça as causas e saiba como tratar


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

Sentimentos de relaxamento, liberação de tensão e felicidade são comuns para muitas pessoas logo após o sexo. Acontece que para outras esse brilho não apenas é ausente, mas substituído por sentimentos de depressão pós-sexo. Se você é mulher e já se sentiu deprimida após uma noite de diversão sexual, não se preocupe. Você não está sozinha.

Sentimento de tristeza após o sexo é comum

Quase metade das mulheres que se envolvem em relações sexuais experimentam uma súbita sensação de depressão, ansiedade ou agressividade com seus parceiros após o ato, de acordo com uma nova pesquisa realizada pelo Instituto de Tecnologia de Queensland (QUT), na Austrália.

O levantamento foi publicado no Journal Sexual Medicine e examinou dados recolhidos de estudantes do sexo feminino em relação à atividade sexual. Os pesquisadores descobriram que, das 230 participantes totais, em torno de 46% delas relataram sintomas de disforia pós-coito (PCD) quase imediatamente depois de fazer sexo pelo menos uma vez na vida. Além disso, uma em cada 20 das entrevistas disseram ter experimentado esses sintomas várias vezes nas últimas quatro semanas.

A disforia pós-coito, mais comumente conhecida como depressão pós-sexo, é uma condição que causa em mulheres um forte sentimento de melancolia e ansiedade no período que vai de 5 minutos a 2 horas após a relação sexual.

Sintomas e causas da depressão pós-sexo

Esse problema normalmente manifesta-se pela presença de sentimentos como tristeza, ansiedade, nervosismo e irritabilidade após um encontro sexual. É certo que isso ocorre com muitas mulheres após o sexo, mas é possível estar presente também após a masturbação. Essa condição é capaz de afetar igualmente os homens.

Há diversas explicações para essa questão. Alguns adultos têm sentimentos mistos sobre sexo, influenciados por aspectos como educação e religião, e podem enfrentar culpa e frustração após um encontro sexual. Além disso, os hormônios também muitas vezes são os causadores desses sentimentos negativos – nesse caso, a prolactina.

Esse hormônio é usado pelas mulheres para a produção de leite, mas também é capaz de ser produzido no organismo masculino. Logo após o orgasmo, o corpo produz prolactina para neutralizar a liberação de dopamina – responsável pela excitação sexual. Nesses casos, a prolactina inibe a dopamina e causa esses sentimentos depressivos.

Fatores psicológicos também podem contribuir, como história de abuso sexual anterior, desequilíbrios neuroquímicos e hormonais, incertezas e até uma avaliação negativa sobre o desempenho na cama. De toda forma, nem sempre a psicologia por si só consegue explicar a ocorrência desse problema.

Muitas vezes ouvir a si mesma é capaz de resolver o problema, assim como conversar com o parceiro sobre os sentimentos também é uma boa ajuda. Caso nada disso resolva, então é preciso criar coragem e buscar ajuda médica especializada – algo que muitas vezes as pessoas relutam em fazer porque a condição diz respeito a questões bastante íntimas.

Saiba que um profissional poderá realizar uma investigação minuciosa sobre eventuais causas biológicas dessa sensação. E caso não sejam elas as culpadas, um terapeuta especializado em questões sexuais é capaz de criar um ambiente seguro para você trabalhar contra esse tipo sensação.

Veja ainda:

Publicada em 29/11/2017 as 13:18

Dr. Rey – saiba como acabar com a sua barriga! Pode ser mais fácil do que parece

Muitas pessoas não são realmente “barrigudas”, mas estão sempre com a barriga inchada. Neste vídeo eu mostro como combater o inchaço da barriga e até mesmo como reduzir muito a gordura abdominal.

Publicada em 29/11/2017 as 11:35

Casos de zika caem 92% em 2017

Apesar da redução geral no Brasil, levantamento mostra que 1,1 mil municípios estão em ‘estado de alerta.

Publicada em 29/11/2017 as 11:18

Investimento em saúde pública em Rondônia ajuda prematuros a terem mais chances de sobreviver

A UTI Neonatal do HB possui 24 leitos e há crianças que chegam a ficar até cinco meses no local, o que depende do ganho de peso e das condições clínicas.

Publicada em 29/11/2017 as 10:20

Exercício físico protege contra o glaucoma

Novo estudo revela que as atividades reduzem pra valer o risco de desenvolver uma das doenças que mais causa perda de visão no Brasil.

Publicada em 28/11/2017 as 18:54

10 formas de perder a gordura localizada

O ‘pneuzinho’ está incomodando? Veja essas dicas.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7 − dois =

Publicidade
Betfair

ALE-RO

ÓTICA DINIZ
Online Cassino


Desenvolvimento