Conectado por

Acre

Damares dá recado aos bandidos do Acre e Gladson diz que homem que não acredita na mulher “é burro”


Compartilhe:

Publicado por

em

Ao ocupar a tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta sexta-feira, 29,, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, mandou um recado curioso: “para os bandidos do Acre, acabou a brincadeira, o presidente Bolsonaro vai acabar com o crime organizado”.

Segundo a ministra, não há como acabar com a violência contra as mulheres senão acabar com o crime organizado. Alves afirmou ainda que Bolsonaro lhe disse que é preciso resgatar as mulheres invisíveis desse país. Ela também prometeu as mães das meninas do HPV (como ficaram conhecidas as que foram afetadas com o efeito colateral da vacina (HPV) de saber o que houve, punir os culpados e indenizar essas meninas. “Queremos cuidar de todas as mulheres”, disse.

“Se um homem diz que uma mulher não tem capacidade ele é mais burro ainda”, diz Gladson

O governador Gladson Cameli (Progressista) chegou ao encontro das mulheres afirmando que, “Estou atrasado porque venho de outras agendas para começar a trabalhar no verão”, justificou.

Segundo ele, o seu governo tem quatro mulheres no primeiro escalão. “São quatro damas de ferro, a da Fazenda Semirames, Comunicação Silvânia Pinheiro, a minha chefe de Gabinete Rosângela e a Ana Paula, minha esposa”. Disse que, “um grande homem tem sempre atrás de si uma grande mulher”.

“Se um homem diz que uma mulher não tem capacidade ele é mais burro ainda”, diz Gladson.

Senadora Mailza Gomes diz que dias melhores virão para as Mulheres

“Precisamos continuar a luta em defesa das mulheres”, afirmou a senadora Mailza Gomes (Progressista), responsável pelo evento que trouxe a ministra Damares Alves e a secretaria Nacional para as Mulheres, tia Eron.

A senadora relatou que as primeiras mulheres no Acre cortavam seringa, cuidavam da família, enfrentavam muitas dificuldades, mas nunca desistiram. “É com essa mesma força de vontade que temos que lutar em defesa dos direitos das mulheres”.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *