Conectado por

Pará

Covid-19 causa quatro vezes mais mortes que crimes violentos no Pará em 2020, aponta Segup

Publicado por

em

A Covid-19 causou quase quatro vezes mais mortes que crimes violentos no Pará em 2020. A informação, divulgada nesta sexta-feira (12) pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (Segup), aponta que a doença registrou, em 72 dias de pandemia, aproximadamente 3 mil mortes a mais que crimes violentos desde o início do ano.

Continua após a publicidade

De acordo com a Segup, do dia 1º de janeiro de 2020 até o dia 10 de junho do mesmo ano, 1.052 mortes por crimes violentos foram registradas no Pará. Entre os casos, foram computados homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

Já a primeira morte de Covid-19 no Pará foi registrada no dia 1º de abril, em Santarém. Desse dia até 11 de junho, 4.090 pessoas morreram com a doença no estado, segundo a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa). Esse número é 3,88 vezes maior que o total de mortos por crimes violentos.

Os números de mortos de Covid-19 usados no levantamento da Segup foram do dia 11 de julho. No entanto, segundo o último boletim da Sespa, 42 novas mortes foram computadas. De acordo com a secretaria, o estado registra 66.328 casos e 4.132 mortes.

Cidades paraenses tem o maior ritmo de contágio do Brasil

Um estudo da plataforma Farol Covid, divulgado na última quarta-feira (10), aponta que sete das dez cidades do Brasil com maior ritmo de contágio da Covid-19 estão no Pará. Também simbolizado por Rt, o “ritmo de contágio” é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança.

Segundo o estudo, a cidade de Barcarena registrou o maior Rt do Brasil, com 2.36. Ou seja, a estimativa é que cada infectado na cidade paraense, em média, vá transmitir a doença para mais de duas pessoas.

Ainda de acordo com o levantamento, há uma tendência nacional de migração de casos para o interior. O Farol Covid aponta que o “ritmo de contágio” do novo coronavírus desacelerou em capitais e aumentou no interior do país entre o fim de maio e o começo de junho. O estudo, que analisou a situação das 124 cidades mais afetadas pela pandemia, indica que, juntas, elas somavam 29.122 mortes na segunda-feira (08), o que representa 80% do acumulado no Brasil.

Veja as cidades com maior índice de aceleração:

Cidades com maior aceleração

Cidades Ritmo de transmissão
Barcarena 2.36
Paragominas 2.16
Curuçá 2.07
Tucuruí 2.05
Abaetetuba 1.97
Benevides 1.89
São Vicente 1.84
Campina Grande 1.83
Marituba 1.81
Magé 1.78

Apesar dos números, Governo autoriza reabertura econômica

Mesmo com a Covid-19 matando cerca de quatro vezes mais que crimes violentos, o governo do Pará anunciou, no dia 29 de maio, o plano de reabertura das atividades econômicas no estado. Segundo o plano, as regiões metropolitana de Belém, parte do Marajó e a região do Araguaia estão autorizadas a abrir shoppings centers, igrejas, salões de beleza e comércio varejista.

A retomada das atividades fez com que a taxa de isolamento social no Pará apresentassem quedas consecutivas. De acordo com o último levantamento da Segup, o estado registrou 43% de isolamento no feriado de Corpus Christi (11). O número segue bem abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomenta 70% de isolamento para conter o avanço da pandemia.

G1