Conectado por

Acre

Corpo de Bombeiros alerta sobre risco de acidentes com animais peçonhentos em Rio Branco


Compartilhe:

Publicado por

em

Nos primeiros dois meses do ano, o Corpo de Bombeiros do Acre já atendeu mais de 300 ocorrências com animais em Rio Branco. Com isso, é necessário ter alguns cuidados e ficar atendo quando aparecer um animal em casa durante o período de chuvas.

Em 2018, o número de ocorrências com animais peçonhentos chegou a mais de 2 mil. O major Cláudio Falcão, da assessoria do Corpo de Bombeiros do Acre, orientou a população sobre os cuidados tomados nesse tipo de ocorrência.

Em entrevista para o Jornal do Acre 1ª Edição, Falcão disse quais são os animais mais comuns capturados na capital acreana.

“Animais peçonhentos são a cobra jararaca, a pico de jaca e a coral, que são animais extremamente letais caso venha picar um ser humano. Mas, temos uma grande ocorrência com cobras jiboias que não tem veneno, porém, é um animal que não deve ser manuseado de maneira inadequada que pode causar mordida e o sufocamento da vítima”, ressaltou.

Major orienta moradores que encontrarem animais peçonhentos em casa

Major orienta moradores que encontrarem animais peçonhentos em casa

Na noite desta terça-feira (19), uma família que mora no bairro Jardim Europa, em Rio Branco, foi surpreendida ao chegar em casa e encontrar uma jararaca com mais de um metro de comprimento na cozinha. Falcão falou o que pode ser feito em um momento como esse.

“Nosso número de urgência e emergência é 193. O Corpo de Bombeiros tem as técnicas necessárias, inclusive, até mesmo para um momento que a pessoa for picada. Muito cuidado nesses momentos de muita chuva, as cobras ficam normalmente nos quintais, no entulhos e se por acaso se for manusear lixo e entulhos coloque luvas e botas para evitar picadas”, garantiu.

Cuidados

Caso encontre uma cobra dentro de casa, no quintal ou até mesmo na rua, primeiramente se deve ligar para os bombeiros e depois aguardar fora do alcance do animal a ajuda chegar. Segundo Falcão, nunca se deve entrar em combate com o animal.

“No momento em que a pessoa se depara com um animal, seja cobra, jacaré ou outro tipo, deve se afastar dele, porque sua proximidade vai causar estresse e fazer com que o animal ataque. Então, é a melhor coisa a se fazer. Se for dentro da residência, o melhor é se manter fora guardando a chegada dos bombeiros para fazer a captura e manter o animal em segurança e a sua segurança”, acrescentou.

 Corpo de Bombeiros do Acre já atendeu mais de 300 ocorrências nos primeiros meses do com animais — Foto: Reprodução

Corpo de Bombeiros do Acre já atendeu mais de 300 ocorrências nos primeiros meses do com animais — Foto: Reprodução

Em caso de mordidas, o major explicou que a pessoa precisa se manter o mais calmo possível, o membro mordido deve ser elevado acima da linha do coração, deitar e procurar ajuda médica o mais rápido possível.

“Jamais furar o local para tentar sugar o veneno, isso é folclórico, não existe, não colocar borra de café, folha em cima ou medicar essa pessoa. Nada disso deve ser feito, dentro do hospital é que a pessoa vai ser tratada com atendimento especializado”, concluiu.