Conectado por

Mundo

Coronavírus: 300 pessoas morrem envenenadas após beberem metanol

Publicado por

em

Uma falsa promessa de cura fez com que cerca de 300 pessoas morressem e mais de mil ficassem doentes após ingerirem metanol no Irã. De acordo com a imprensa internacional, as pessoas tomaram a medida desesperada na esperança de se protegerem contra o novo coronavírus, que causa a Covid-19.

Continua após a publicidade
<

Fake news sobre remédios se espalharam nas mídias sociais iraniana, comunicando que a ingestão de álcool industrial mataria o vírus de seus corpos. O líquido, no entanto, é altamente inflamável, com características de solvente, e pode causar cegueira e levar à morte.

Uma das vítimas mais jovens foi um garoto de cinco anos, obrigado pelos pais a ingerir a substância tóxica. Ele perdeu a visão e segue internado. O estado de saúde dele é desconhecido.

O caso ocorre em meio ao crescente número de pacientes contaminados com o coronavírus. Teerã anunciou nesta sexta-feira (27/03), 144 novas mortes, elevando o número de falecimentos por Covid-19 a 2.398, além de 2.926 novos casos, totalizando 32,3 mil infectados.

Contrabando de álcool

Na República Islâmica, o consumo de álcool é proibido, logo, contrabandistas facilitaram a venda da substância tóxica na região.

A República Islâmica registrou cerca de 29 mil casos confirmados e mais de 2.200 mortes pelo vírus, o número mais alto de qualquer país do Oriente Médio.

Até o momento, não há cura conhecida para a Covid-19, doença causada pelo vírus Sars-CoV-2. Cientistas e médicos em todo o planeta seguem estudando, em busca de remédios eficazes e de uma vacina.

FONTE: METROPOLES