Conectado por

Cuiabá-MT

Coordenadora diz que moradores de Cuiabá têm se recusado a tomar vacina Astrazeneca


Compartilhe:

Publicado por

em

A coordenadora da campanha de vacinação contra o coronavírus em Cuiabá, Valéria de Oliveira, disse, em entrevista à Rádio Centro América nesta terça-feira (15), que muitos moradores da capital têm se recusado a tomar a vacina Astrazeneca por medo de reações.

Nos primeiros 12 dias deste mês, mais de mil pessoas que estavam com a vacinação agendada contra a Covid-19 deixaram de comparecer aos postos de vacinação para se imunizar, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Saúde. Esse número corresponde a 20% de abstenção.

“O que tenho observado é que as pessoas não estão querendo tomar a dose da Astrazeneca. No Centro de Eventos do Pantanal, muitas pessoas quando chegaram lá e souberam que era fornecida a dose da Astrazeneca, se recusaram a vacinar. Foram vários casos”, contou a coordenadora.

A secretaria tem feito buscas nas unidades de saúde da capital para fazer uma força-tarefa e localizar moradores de cada região da cidade que ainda não tomaram a primeira dose.

“A vacina certa é a que está disponível onde a pessoa foi designada para receber. Tem pessoas com resistência dizendo que não querem tomar a Astrazeneca”, comentou.

Abstenções

Ao todo, neste mês, mais de 11 mil pessoas agendadas deixaram de comparecer aos postos de vacinação para tomar a primeira dose da vacina contra o coronavírus.

Até o momento, o grupo prioritário com maior número de abstenções é o que reúne os profissionais da Educação, com 1.541 faltosos.

O segundo grupo que mais ausente é o de pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades, que somam 1.131 agendados, seguido pelo grupo de pessoas com comorbidades de 45 a 49 anos, com 987 faltantes.

Por dia, cerca de 5 mil pessoas são agendadas e nos 12 primeiros dias deste mês foi registrada uma média de mil abstenções por dia.

As pessoas fazem o cadastro e quando não comparecem tiram a vez de quem poderia ser vacinado.

G1.globo.com