Conectado por

Medicina

Conheça as 6 principais doenças auditivas


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

A audição é um dos principais sentidos do corpo humano, sendo um dos mais utilizados para se comunicar e desenvolver habilidades. Visto isso, é essencial entender como evitar as doenças auditivas e todas as suas consequências.

Podendo ser diagnosticadas em qualquer momento da vida, as doenças que afetam o ouvido, podem ser evitadas a longo prazo, para isso é importante construir bons hábitos. Além disso, é imprescindível entender quais são as principais doenças e suas causas. Ficou curioso? Conheça a seguir as 6 principais.

Otite

Podendo ser causada por infecções, fungos, vírus, bactérias, ou em decorrência de alergias, a otite é a inflamação de uma das regiões do ouvido — externa, média e/ou interna. Essa doença pode atingir pessoas de diferentes faixas etárias, e seus principais sintomas são:

  • fortes dores de ouvido;
  • tímpano avermelhado;
  • eliminação de pus por infecção.

A otite é classificada em cinco tipos, sendo eles:

1. Otite externa

A otite externa é caracterizada por atingir o ouvido externo e a orelha, geralmente esse tipo é causado pela invasão de fungos e bactérias na parte interna da pele ou pelo excesso de umidade no ouvido, como não secar bem após o banho. Além disso, é importante ter cautela ao utilizar objetos que possam penetrar o tímpano, como os cotonetes.

2. Otite média

Como o próprio nome sugere, esse tipo atinge o nível médio do ouvido, que possui ligação com o nariz. Por esse motivo, ela pode surgir logo após crises de resfriados, infecções por gripe ou da garganta. Sendo bastante comum em crianças e adolescentes, pode acometer pessoas de diferentes idades.

3. Otite interna

Sendo considerada a mais grave, a otite interna atinge a parte mais profunda do ouvido, onde ficam localizados o labirinto e a cóclea, que são responsáveis pelo equilíbrio e pela audição.

As principais causas são irritações e inflamações do ouvido interno, além disso, é possível que após uma otite interna a pessoa passe a sofrer com a labirintite, pois o labirinto é um dos mais afetados nesse caso.

4. Otite crônica

Nesse caso, a infecção e os sintomas perduram por mais de 4 semanas por perfuração do tímpano ou alguma disfunção auditiva, podendo causar bastante dor pelo acúmulo de pus.

É necessário buscar imediatamente um especialista para a prescrição do tratamento mais adequado.

5. Otite aguda

No caso da otite aguda, os sintomas não passam de duas semanas, ela é considerada otite de repetição quando ocorre mais de quatro vezes no mesmo ano. Isso porque, há um acúmulo de líquido no ouvido e a drenagem é realizada de forma natural, o que gera uma nova infecção.

Tratamento da otite

Para o tratamento da otite, é essencial buscar um otorrinolaringologista para um diagnóstico correto.

De modo geral, para os casos mais simples, são indicados tratamentos medicamentosos com o apoio de analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos. Em casos mais graves, o médico responsável pode sugerir uso de aparelhos auditivos ou acompanhamento frequente.

Meniére

Essa síndrome comumente afeta apenas apenas um dos ouvidos, mas em casos mais avançados pode acometer dois ou três.

Crianças e adolescentes podem ter essa patologia, porém ela é mais comum em adultos entre os 20 e 50 anos. A meniére não tem cura, mas o médico especialista pode receitar tratamentos alternativos para controlar a doença e seus sintomas. Os principais sintomas dela são:

  • vertigens e tonturas;
  • perda de equilíbrio;
  • fortes zumbidos;
  • diminuição ou perda total da audição;
  • sensação de pressão no ouvido.

A principal causa para essa síndrome é o acúmulo excessivo de líquido no ouvido, podendo ser originado por diferentes fatores. Sendo assim, é importante buscar um otorrinolaringologista assim que perceber os sintomas.

Ototoxicidade

Essa doença é caracterizada pela perda parcial ou total da audição em decorrência de lesões no ouvido interno, que em sua grande maioria são causadas por fármacos e substâncias químicas.

A perda pode atingir um ou os dois ouvidos ao mesmo tempo e, além disso, pode permanecer temporariamente ou de forma permanente. O tratamento mais indicado é a redução da dosagem da medicação ou, quando há a possibilidade, parar com os remédios.

Otosclerose

A otosclerose é decorrente do crescimento exagerado de tecido ósseo, o que interfere na condução dos sons e vibrações do ouvido médio para o interno.

Essa doença é bastante comum em mulheres entre 20 e 30 anos, porém isso não é uma regra. A principal causa é o histórico familiar.

É importante ter atenção aos principais sintomas que são relacionados a perda progressiva da audição, podendo chegar a completa surdez.

Tinnitus

Mais conhecido com zumbidos, o tinnitus é a presença de um som incômodo no ouvido, que pode ser gerado por diferentes fatores, como o consumo exagerado de açúcar ou de fones de ouvido.

Esse zumbido, pode ocorrer unilateral ou bilateralmente, além disso, pode não ser possível distinguir um lado, que é quando o zumbido ocorre na cabeça de forma geral.

Mesmo não sendo um indicador de doenças graves, é essencial que ao notar a presença de zumbidos por mais de uma semana, você busque um profissional especializado capaz de realizar um diagnóstico preciso e, consequentemente, um tratamento assertivo.

Neuroma do acústico

O neuroma acústico é um tumor benigno, ou seja, sem a presença de câncer, que ocorre dentro do ouvido interno.

Os sintomas tendem a ser muito simples e causar pouca preocupação, por isso é tão importante redobrar a atenção.

Um dos primeiros indícios que podem surgir, é a perda parcial da audição em um dos ouvidos, com a presença de zumbidos. Outros sinais que podem estar relacionados são a vertigem e a perda de equilíbrio.

Entenda como se prevenir das doenças auditivas

A menos que as doenças sejam genéticas ou hereditárias, há meios para que elas sejam evitadas. No geral, os cuidados estão diretamente ligados ao ouvido, alguns dos principais são:

  • use fones de ouvidos com cautela;
  • evite sons altos por longos períodos;
  • trate infecções da forma correta;
  • evite o uso de objetos pontiagudos no ouvido;
  • consulte um especialista com frequência.

Tenha atenção sempre

Agora que você já sabe quais são as principais doenças auditivas, suas causas e sintomas, é importante ficar atento para evitar problemas a longo prazo.

Semprebem.paguemenos.com.br