Conectado por

Amazonas

Com 140 enterros em 24 horas, Manaus bate recorde de registros desde início de pandemia; apenas 10 casos são confirmados de Covid-19

Publicado por

em

Manaus teve o maior registro de enterros feitos em apenas um dia, desde o início da pandemia do novo coronavírus, neste domingo (26). Foram 140 sepultamentos e duas cremações registrados só na capital, segundo a prefeitura. O número supera o recorde de 136, registrado no início da última semana.

As mortes, de acordo com a Prefeitura de Manaus, são de casos em geral, entre pacientes de Covid-19, mortos por síndromes respiratórias ou outras causas. O Amazonas já tem mais de 3,8 mil casos confirmados de coronavírus e o número de mortes já ultrapassa 300.

Do total de 142 óbitos, apenas dez tem confirmação de morte pela Covid-19. As outras mortes foram divididas por. Outras 47 pessoas morreram por síndrome ou insuficiência respiratória, mais 28 tiveram no atestado o registro de causa “indeterminada ou desconhecida”, entre outras causas.

“O número de sepultamentos do dia 26 agora passa a ser o maior do período, desde o agravamento da pandemia pelo novo coronavírus”, diz nota da prefeitura.

Há uma semana, desde o último domingo (19), o quantitativo nos cemitérios públicos tem ultrapassado os cem enterros diários em Manaus.

A maioria dos sepultamentos é feita no cemitério Nossa Senhora Aparecida, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus, que recebeu a instalação de contêineres frigoríficos para armazenar corpos. Foi lá também que a prefeitura abriu valas comuns para conseguir suprir a demanda de enterros.

Denúncias acendem alerta para falta de estrutura

Com a média diária de 100 enterros por dia, os cemitérios de Manaus começam a dar sinais de que não há estrutura ou mão de obra para lidar com a demanda. Neste domingo, dia do recorde de sepultamentos, uma família precisou enterrar o próprio pai, por falta de coveiros. (Veja vídeo)

Depois de relatar que precisou “revirar” câmaras frigoríficas para encontrar o corpo do pai, um dos filhos desabafou sobre a situação.

“Muitos corpos em cima do outro, sem identificação nenhuma. Nós tivemos que nos arriscar, tivemos que nos arriscar dentro do freezer, dentro do frigorífico para identificar nosso pai”, disse Máximo.

Por meio de nota, a Prefeitura de Manaus disse que a situação foi “um fato isolado” e que vai apurar o ocorrido para tomar as medidas cabíveis.

Manaus: sepultamentos em números (Fonte: Semulsp)

  • 09/4 – 39 sepultamentos 39 / 3 por Covid-19
  • 10/4 – 47 sepultamentos / 5 por Covid-19
  • 11/4 – 51 sepultamentos / 10 por Covid-19
  • 12/4 – 64 sepultamentos / 6 por Covid-19
  • 13/4 – 58 sepultamentos / 5 por Covid-19
  • 14/4 – 64 sepultamentos / 4 por Covid-19
  • 15/4 – 88 sepultamentos / 7 por Covid-19
  • 16/4 – 75 sepultamentos / 4 por Covid-19
  • 17/4 – 96 sepultamentos / 3 por Covid-19
  • 18/4 – 89 sepultamentos / 6 por Covid-19
  • 19/4 – 122 sepultamentos / 6 por Covid-19
  • 20/4 – 104 sepultamentos / 9 por Covid-19
  • 21/4 – 136 sepultamentos / 4 por Covid-19
  • 22/4 – 120 sepultamentos / 7 por Covid-19
  • 23/4 – 135 sepultamentos / 12 por Covid-19
  • 24/4 – 128 sepultamentos / 13 por Covid-19
  • 25/4 – 98 sepultamentos / 6 por Covid-19 / 4 cremados (102 total)
  • 26/4 – 140 sepultamentos / 10 por Covid-19 / 2 cremados (102 total)

Sistema funerário em colapso

Em duas semanas, o número de sepultamentos nos cemitérios públicos da capital amazonense triplicou, conforme dados divulgados pela Prefeitura de Manaus. O comparativo considera, por exemplo, os 39 enterros realizados no dia 9 deste mês, enquanto que, no último sábado (25), foram 102 registros, um aumento de quase 300% em 16 dias. Nesse período, são mais de 1,5 mil registros.

As empresas privadas da capital informaram que só possuem estoque de urnas funerárias para os próximos dez dias, se a demandar continua alta, segundo informou o Sindicato das Empresas Funerárias do Estado do Amazonas (Sefeam).

Coronavírus no Amazonas

De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado neste domingo (26) pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o Amazonas registrou mais 198 casos novos de Covid-19. Com isso, o número de pessoas infectadas pela doença ultrapassa 3,8 mil. Também foram confirmados mais 17 mortes pela doença, elevando o total para 304.

Casos de coronavírus no Amazonas
Primeiro caso foi registrado no dia 13 de março, e primeira morte no dia 24
Casos confirmadosMortes13/mar16/mar20/mar24/mar28/mar31/mar4/abr06/abr07/abr08/abr09/abr10/abr11/abr12/abr13/abr14/abr15/abr16/abr17/abr18/abr19/abr20/abr21/abr22/abr23/abr24/abr25/abr26/abr01k2k3k4k5k
Fonte: FVS-AM

O boletim da FVS-AM aponta, ainda, que mais 131 pessoas se recuperaram da doença, de sábado (25) para domingo, e estão fora do período de transmissão do vírus, totalizando, agora, 1.220 recuperados. Outros 2.040 infectados estão em isolamento social ou domiciliar.

Dos total casos confirmados no Amazonas, até este domingo, 2.722 são de Manaus (71%) e 1.111 do interior do estado (29%). Manacapuru é a cidade do interior com o pior cenário, registrando 256 casos da doença, com 17 mortes.

G1