Conectado por

Agronegócios

Clima favorece milho segunda safra

Publicado por

em

O Boletim de Monitoramento Agrícola, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mostra a situação do desenvolvimento das culturas nas principais regiões produtoras.

Continua após a publicidade

O cenário é positivo nos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, que formam o Matopiba. Houve ausência de chuvas na primeira quinzena de julho. A situação favorece a maturação e colheita do algodão e do milho segunda safra.

No Sealba, que abrange Sergipe, Alagoas e Bahia, as chuvas frequentes têm favorecido o desenvolvimento do milho terceira safra..
No Mato Grosso do Sul, as lavouras ainda necessitam de chuvas, pois estão na fase de enchimento dos grãos e passam por estresse hídrico em função da baixa umidade no solo.

Isso significa que a redução de umidade do solo, durante o períodos críticos do desenvolvimento das lavouras, impactará no resultado final da produtividade. No Mato Grosso o estresse hídrico também prejudica o enchimento de grãos. Em Goiás o percentual de lavouras de milho segunda safra e algodão em maturação e colheita é semelhante à safra anterior.

O excesso de precipitações causou, entretanto, atraso na evolução da semeadura do trigo e na colheita do milho segunda safra na região Sul do Brasil. No Norte gaúcho o excesso de umidade no solo levou a perdas de adubação por lixiviação. No Paraná as instabilidades causaram atraso na colheita do milho e, consequentemente, na semeadura do trigo. Também foram registradas geadas fortes nos três estados do Sul nos primeiros quinze dias do mês.

No Sudeste houve atrasos na semeadura do milho segunda safra em Minas Gerais e em São Paulo mas a maior parte das lavouras encontra-se atualmente em maturação e colheita.