Conectado por

Saúde

Cigarro eletrônico: 8 perguntas comuns e suas respostas


Compartilhe:

Publicado por

em

O cigarro eletrônico é um dispositivo que simula a experiência do tabagismo e que costuma ser visto como uma opção mais saudável — ou menos prejudicial — do que o cigarro comum, sendo muito atrativo para pessoas que querem parar de fumar ou desejam reduzir a quantidade de substâncias tóxicas por tragada.

No entanto, o cigarro eletrônico não é recomendado por especialistas e nem consta em listas de alternativas para quem deseja se livrar do vício. Na verdade, ainda há muita especulação a respeito dos riscos que o dispositivo acarreta à saúde.

Abaixo, traremos todas as informações para você saber mais sobre o cigarro eletrônico e até que ponto ele pode ser considerado uma alternativa segura ao cigarro comum.

Cigarro eletrônico faz mal?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda não conseguiu determinar quais malefícios o cigarro eletrônico pode trazer à saúde, mas é fato que ele não é um produto 100% livre de riscos.

A recomendação, portanto, é que não seja usado como alternativa para parar de fumar.

Mas o cigarro eletrônico não tem menos substâncias tóxicas?

Essência do cigarro eletrônico.

FOTOGRIN/Shutterstock

Sim. É justamente por isso que muitos o defendem como substituto ao cigarro comum. O problema é que ter menos substâncias nocivas à saúde não significa que o produto é totalmente livre de qualquer tipo de riscos.

Na realidade, existem muitas versões do cigarro eletrônico que trazem a nicotina (principal responsável pelo vício) diluída no líquido que é posteriormente convertido em vapor.

Quais substâncias estão no líquido do cigarro eletrônico?

A essência do cigarro eletrônico pode ser adquirida em pequenos recipientes — geralmente em tabacarias — e é introduzido em um mini reservatório.

Ao todo, já existem mais de 7 mil variações de sabores. A maioria vem com nicotina diluída, mas também é possível encontrar sem.

De toda forma, apesar de não se comparar ao cigarro comum, é necessário ficar atento à composição: em muitas, já foram encontradas substâncias nocivas à saúde, como chumbo, níquel, estanho e crômio. Muitas delas, inclusive, com potencial carcinogênico.

O teor de nicotina presente nos líquidos para cigarro eletrônico, aliás, varia de acordo com o fabricante, podendo ser de zero até 36 mg/mL.

Quais os riscos do cigarro eletrônico?

Ainda não se sabe exatamente quais são malefícios são intrínsecos ao cigarro eletrônico, mas a própria nicotina — presente em parte dos líquidos utilizados — já é uma velha conhecida da Medicina não só por só provocar o vício, mas também por trazer riscos à saúde.

Ela está relacionada à maior probabilidade de doenças cardiovasculares, atraso no desenvolvimento do feto, maior risco de aborto espontâneo e de parto prematuro.

Há vantagens no uso do cigarro eletrônico?

Além da exposição a uma quantidade menor de substâncias tóxicas, o cigarro eletrônico chama atenção por não deixar os dentes amarelados (um dos principais problemas estéticos causados pelo fumo comum), não provocar mau cheiro, ser menos poluente, mais barato (em longo prazo) e apresentar menor risco de doenças pulmonares — até mesmo no caso do fumo passivo.

Onde comprar cigarro eletrônico?

A própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde 2009, proíbe o comércio e a publicidade do cigarro eletrônico no País com base no princípio da precaução — uma vez que nenhum estudo até agora foi capaz de associá-lo a tentativas bem-sucedidas de pôr fim ao vício ao tabagismo tradicional.

No entanto, seu uso não é considerado crime no Brasil. Hoje, quem o utiliza em território nacional ou o comprou pela internet ou o trouxe do exterior. Os preços do cigarro eletrônico variam de R$ 50 a R$ 1200.

Só o Brasil proíbe a venda deste tipo de cigarro?

Mulher fumando cigarro eletrônico.

deineka/Shutterstock

Países como Argentina, Canadá, Áustria e Colômbia também não permitem que cigarros eletrônicos sejam comercializados. Em outros lugares, como Austrália, Dinamarca e Bélgica, só é permita a venda das versões sem nicotina.

Quais as formas seguras para parar de fumar?

Quem deseja parar de fumar pode recorrer aos já conhecidos chicletes e adesivos de nicotina, que costumam surtir bastante efeito. Para quem não consegue alcançar os resultados desejados com esses métodos, é recomendada a busca por ajuda médica para adotar outras abordagens.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *