Conectado por

Agronegócios

China deve comprar 105 milhões de toneladas de soja do Brasil em 2029

Publicado por

em

O Brasil deverá exportar 105 milhões de toneladas de soja para a China em 2029, com a produção atingindo 140 milhões de toneladas, frente a 120 milhões dos EUA. É o que aponta o estudo “Perspectivas Agrícolas 2020-29”, realizado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura).

Continua após a publicidade

A projeção aponta a “consolidação da América Latina como fornecedor mundial de produtos agrícolas nos próximos dez anos”, analisa o professor da USP e FGV Marcos Fava Neves, que é especialista em planejamento estratégico do agronegócio.

Enquanto a produção deverá aumentar em 14%, o relatório projeta que as exportações devem crescer 1,7% por ano. “Em 2029, a região deverá responder por 60% das exportações globais de soja, 40% do milho, 39% do açúcar e 35% de carnes (bovina e frango). O Brasil, China, EUA e União Europeia devem representar 60% da produção mundial de carnes até 2029”, destaca Fava Neves.

Ainda de acordo com o estudo, nos próximos 10 anos, deve acontecer um aumento no consumo médio de carnes por habitante de 0,24% por ano, em países desenvolvidos, e de 0,8%, nos países em crescimento. Segundo a OCDE e FAO, a China deve representar 29% das importações mundiais, tendo Brasil, Canadá, EUA e União Europeia como principais países exportadores.

“O Brasil também deve se firmar como o segundo maior exportador mundial de algodão em 2029, com crescimento de 94% no período. Em relação ao milho, o Brasil deve participar de 20% da parcela mundial, enquanto que os EUA ficam com 31% do mercado”, conclui o professor Fava Neves.

AGROLINK