Conectado por

Mato Grosso

Cães e gatos de grande porte podem doar sangue para ajudar a salvar a vida de outros animais domésticos


Compartilhe:

Publicado por

em

Assim como os seres humanos, os animais também precisam de transfusão de sangue durante o tratamento de doenças ou após acidentes. Segundo os veterinários, os donos de cães e gatos devem se conscientizar sobre a importância da doação de sangue para outros animais. O procedimento é simples e pode salvar a vida de outro animal.

O sangue pode ser coletado de cães com idades entre um e oito anos, acima de 25 kg. Já os gatos precisam pesar acima de 5 kg e ter idade de até oito anos.

Para o cão Banguela, da veterinária Estela Harter, doar sangue já é algo comum. Ele faz isso a cada três meses. “É muito importante e não custa nada para a gente, nem para o animal e salva vidas, às vezes, de até três animais. Todo mundo que já precisou conhece a necessidade”, conta.

Os procedimentos são quase os mesmos de um humano. Para ser um doador, o animal passa por vários exames.

“Exames de hemograma, de sorologias, para diagnosticar algumas doenças e também a possibilidade dele ser ou não um doador. Além disso, ele também passa por uma tipagem sanguínea, visando a importância de conhecer o tipo de sangue desse animal, para que ele possa ser um doador efetivo”, explica a veterinária Kátia Sales.

Os exames são de graça. Existem clínicas que oferecem até o serviço de transporte desse animal.

O sangue coletado fica armazenado por até 21 dias. — Foto: TV Centro América

O sangue coletado fica armazenado por até 21 dias. — Foto: TV Centro América

Depois de coletado, o sangue fica no banco da clínica mesmo e passa por outros procedimentos. Segundo Kátia, eles conseguem armazená-lo por até 21 dias.

As clínicas veterinárias particulares cobram entre R$ 200 e R$ 400 a bolsa de sangue para cachorros, enquanto para gatos em torno de R$ 400.

Outro local para a doação de sangue animal é o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). A demanda por sangue na unidade de saúde é grande. Por semana são realizadas cerca de cinco transfusões na unidade de saúde. Em um ano, cerca de 5 mil animais são atendidos.

“A gente sempre precisa de sangue, então as pessoas podem procurar o hospital para trazer seus cães para essa avaliação. Podem ser doadores voluntários”, afirma Valéria Regina, veterinária da UFMT.

O Hospital Veterinário da UFMT tem parceria com instituições que têm canis e levam os cães para doação de sangue. Tem também donos que levam os cães ou gatos de grande porte para fazer doações periódicas, que podem ser feitas a cada três meses.

FONTE:G1