Conectado por

Agronegócios

Butirato de sódio é alternativa a antibióticos para melhoria da performance de aves de corte

Publicado por

em

A redução e o uso racional de antibióticos na produção animal têm sido pautados mundialmente como prioridade para a saúde da cadeia produtiva e dos consumidores, o que alavanca a procura por alternativas naturais que ajudem na melhora do desempenho das aves. De acordo com a médica veterinária Sibele Lourenço, representante técnica comercial da Auster Nutrição Animal, o uso de ácidos orgânicos, constituintes naturais das plantas e dos animais, é uma opção ao uso de antibióticos. Entre suas vantagens, eles tornam mais eficiente a utilização dos nutrientes contidos nos ingredientes da ração sem oferecer riscos à saúde dos consumidores, servindo como ferramenta nutricional complementar.

Continua após a publicidade

“O butirato de sódio, sal derivado do ácido butírico, tem sido priorizado por ser sólido, mais estável e causar menos desconforto ao ser manipulado (apresenta odor menos intenso), tendo grande potencial como substituto para os antibióticos promotores de crescimento devido às suas características multifuncionais, que o diferenciam dos demais ácidos orgânicos”, explica a representante técnica da Auster.

Entre os benefícios da sua utilização estão a redução do pH gástrico e intestinal, aumento da atividade de enzimas proteolíticas, melhoria da digestão e absorção de nutrientes, redução das bactérias enteropatogênicas, estimulando a secreção de enzimas pancreáticas, favorecendo o equilíbrio da microbiota intestinal, fornecendo energia com baixo incremento calórico e maior palatabilidade das rações. O butirato de sódio também atua na manutenção da integridade da barreira intestinal e, em consequência, proporciona maior eficiência alimentar e ganho de peso, além de estar associado ao controle de patógenos intestinais de frangos de corte, como Salmonella spp., Clostridium perfringens e Escherichia coli.

Sibele Lourenço informa que não há restrição de uso para o butirato de sódio, podendo ser utilizado nas formas livre ou protegida (microencapsulada). Entretanto, é necessário que os avicultores e técnicos se atentem a fatores como nível de inclusão, composição da dieta, interação com outros aditivos ou nutrientes dietéticos, idade e estado de saúde das aves. “Estes aspectos devem ser levados em consideração ao avaliar os efeitos dos derivados de butirato, particularmente em relação ao desempenho dos animais”, completa.

A Auster possui em seu portfólio o Novyrate C, aditivo acidificante composto por butirato de sódio revestido por ácidos graxos de cadeia média e curta, garantindo sua ação do início ao fim do trato gastrointestinal, diferencial em comparação aos demais produtos disponíveis no mercado. “Este recobrimento faz com que o ácido seja liberado após a ação da lipase, proporcionando sua lenta liberação ao longo do trato gastrointestinal, evitando a proliferação excessiva de bactérias indesejáveis e mantendo o equilíbrio da microbiota”, explica Sibele Lourenço.

A representante técnica da Auster afirma, ainda, que o Novyrate C tem como vantagem o fato de possuir características químicas parecidas com o ácido butírico livre, apresentando baixo peso molecular, visto que ácidos orgânicos com maior peso molecular possuem menor capacidade de difusão e, portanto, menor facilidade em atravessar as membranas celulares e exercer efeitos antibacterianos. A recomendação de uso do Novyrate C para frangos de corte é de 1,0 a 2,0 kg/tonelada, poedeiras: 0,25 a 1,0 kg/tonelada, matriz pesada: 0,25 a 2,5 kg/tonelada e leitões: 1,0 a 2,5 kg/tonelada.