Conectado por
Governo de Rondônia

Agronegócios

Brasil venderá mais carne para a China

Publicado por

em


Continua após a publicidade

As exportações de carne de gado para a China devem sofrer um aumento de cerca de 15%, em termos de valor mensal, segundo informou a consultoria Agriffato. De acordo com a CarneTec Brasil, o principal fator que influencia esse panorama é a autorização para que plantas frigoríficas adicionais possam embarcar ao país asiático. 

“Projeta-se que as exportações mensais têm espaço para avançar entre 10% e 15% a partir dos primeiros embarques efetivos, com altas graduais já acontecendo nos próximos meses a partir de novembro”, disse a Agriffato em análise em seu website. 

A consultoria estima que o Brasil deve exportar cerca de 2 milhões de toneladas de carne bovina neste ano, sendo que China e Hong Kong devem ser os principais compradores, destino de cerca 800 mil toneladas ou 40% do total. “A China habilitou mais 25 frigoríficos brasileiros de carne bovina a exportar para o país no início do mês: 17 de carne bovina, seis de carne de frango, um de suíno e um de asinino”, completa a CarneTec. 

“No caso da carne bovina, as novas habilitações abriram mercado da China para os estados de Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Tocantins, que não tinham unidades autorizadas anteriormente. O maior número de frigoríficos brasileiros de carne bovina autorizados pela China está em São Paulo: oito plantas que têm capacidade para elevar a participação do estado nos embarques para a China em quase 9%”, indica. 

Nesse cenário, o estado do Mato Grosso teve o maior número de plantas autorizadas na nova lista de habilitação, são seis novas unidades que elevam o número total para sete.