Conectado por

Agronegócios

Brasil vai exportar peixe para Coreia do Sul

Publicado por

em

A piscicultura brasileira vive dois momentos distintos: de um lado a diminuição do consumo interno diante da pandemia de coronavírus (Covid-19); e de outro mais uma habilitação de mercado para exportação de peixes de cultivo. O novo mercado é a Coréia do Sul. Recentemente outras 11 plantas foram habilitadas em 9 estados para exportação para a China. Com isso o Brasil abre importantes frentes para participar ativamente do mercado de peixes de cultivo dos países asiáticos.

Continua após a publicidade

Em relação aos sul-coreanos o próximo passo envolve as negociações, quando as plantas interessadas em exportar para esse mercado devem atender aos padrões sanitários, técnicos e legais do Brasil e, também, da Coreia do Sul.

“A piscicultura tem condição de produção de peixes acima da demanda do mercado interno. É um avanço significativo em um momento em que as vendas externas estão em crescimento. Também estamos realizando conversas para firmar acordos que resultem em novas possibilidades de negócios”, destaca Francisco Medeiros, presidente-executivo da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR).

Em 2019 a tilápia foi o peixe mais demandado dos negócios internacionais, com alta de 19% no volume exportado e o faturamento brasileiro com as exportações de carne de peixe somaram U$ 5,6 milhões. Paralelo a isso a Peixe BR também desenvolve a campanha “coma mais peixe”, com foco em alavancar o consumo interno e, consequentemente, toda a cadeia da piscicultura.

Nossa equipe de reportagem visitou uma piscicultura, no interior de São Paulo, que produz tilápia do sistema vertical, desde a criação passando pela engorda, finalização e indústria. Reveja:

AGROLINK