Conectado por

Entretenimento

Brasil bate Eslovênia de virada e segue líder da Liga das Nações


Compartilhe:

Publicado por

em

O Brasil arrancou uma grande virada diante da Eslovênia na Liga das Nações masculina de vôlei. Nesta terça-feira, os campeões olímpicos superaram o time sensação do torneio por 3 sets a 2 – 15/25, 25/22, 19/25, 25/13 e 15/12. A sexta vitória seguida manteve a seleção brasileira na liderança da competição em Rimini, na Itália.

Resumo do jogo

Depois de vencer Rússia e França no tie-break, a Eslovênia tentou repetir a dose contra o Brasil. Os vice-campeões europeus encaixaram um saque muito forte no primeiro e no terceiro sets para dominar os brasileiros.

Só que os campeões olímpicos reagiram com mudanças no time. Douglas Souza entrou muito bem no segundo set no lugar de Lucarelli, melhorando o passe e com precisão na virada de bola. Isac também ajudou o time a crescer no quarto set, substituindo Maurício Souza. E Lucarelli voltou na reta final do tie-break para ser decisivo com saques potentes que selaram a vitória de virada. Wallace e Leal foram os principais pontuadores do Brasil e do jogo, com 18 e 17 acertos respectivamente.

Leal foi destaque do Brasil no tie-break — Foto: FIVB

Leal foi destaque do Brasil no tie-break — Foto: FIVB

Como fica?

Com a sexta vitória seguida, o Brasil manteve a liderança da Liga das Nações. Agora são nove vitórias, apenas uma derrota, para a França, e 26 pontos.

Próximo jogo

Agora, a seleção brasileira volta à quadra nesta quarta-feira, às 16h, conta o Irã, com transmissão do SporTV2 e cobertura em tempo real do ge.

1° set – atropelo esloveno

Depois de bater França e Rússia, a Eslovênia entrou em quadra cheia de moral e mostrou força. O Brasil errou muito no primeiro set (cedeu nove pontos em erros), enquanto os eslovenos encaixaram um saque forte para quebrar o passe brasileiro. Os campeões olímpicos raramente atacaram sem bloqueio montado à frente, e por muitas vezes a saída foi explorar o paredão europeu. Bem também na virada de bola, especialmente com Toncek Stern, a Eslovênia dominou a parcial abriu grande vantagem (18 a 9). Carlos Schwanke tentou mudanças na equipe colocando em quadra Cachopa e Alan, mas não mudou o cenário. Em um erro de saque de Maurício Souza, os eslovenos fecharam o primeiro set: 25 a 15.

2° set – reação brasileira

O Brasil conseguiu equilibrar o jogo no segundo set com os ataques de Leal. O saque brasileiro melhorou, e Douglas Souza entrou bem no lugar de Lucarelli, melhorando o passe e firme na virada de bola. O Brasil conseguiu abrir uma pequena vantagem no meio do set (16 a 13), e Wallace cresceu na reta final para manter a dianteira. O oposto anotou oito pontos de ataque no set, incluindo o ponto que fechou a parcial: 25 a 22.

3° set – novo domínio esloveno

A Eslovênia voltou a dominar o jogo no início do terceiro set. O saque forte e o bloquei encaixado fizeram a diferença para os europeus rapidamente abrir vantagem (16 a 8). Schwanke colocou em quadra Cachopa e Alan. Isac também entrou no lugar de Maurício Souza, mas os eslovenos mantiveram a virada de bola com Toncek Stern, Jan Kozamernik e Klemen Cebulj. O Brasil ensaiou uma reação no fim da parcial já com Bruninho e Wallace de vota à quadra, mas era tarde demais. Eslovênia venceu o set: 25 a 19.

4º set – Brasil também atropela

Mantendo Isac no time, Brasil voltou aos trilhos no quarto set, comandado pelos ataques potentes de Leal (5 a 2). A Eslovênia ameaçou uma reação e chegou a um empate (10 a 10). Só que Douglas Souza guiou uma arrancada brasileira (20 a 12). O ponteiro anotou dois aces seguidos além de virar bolas no ataque. Os eslovenos sentiram o golpe, passaram a errar mais. Um bloquei de Flávio em Kozamernik selou a vitória no set, que garantiu a manutenção da liderança da Liga das Nações para o Brasil: 25 a 13.

5º set – virada na reta final

O tie-break começou bastante equilibrado. Os eslovenos por duas vezes abriram dois pontos, mas os brasileiros não deixaram os europeus escaparem e assumiram a liderança da parcial de desempate (10 a 8). A Eslovênia chegou a virar (12 a 11), mas Lucarelli voltou à quadra e já encaixou um ace (13 a 12). O saque do ponteiro quebrou o passe e permitiu o bloqueio de Isac e um erro de ataque de Kozamernik fechou o jogo para o Brasil: 15 a 12.

Ge.globo.com