Conectado por
Governo de Rondônia

Nacional

Bolsonaro quer aumentar para R$ 3 mil valor da isenção do Imposto de Renda

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Em live na noite de quinta-feira (14/1), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que quer aumentar para R$ 3 mil a faixa de isenção do Imposto de Renda no próximo ano.

Hoje, o limite de isenção é de R$ 1.903,98. Durante a campanha presidencial de 2018, Bolsonaro havia prometido elevar o valor para R$ 5 mil.

“Gostaríamos de passar pra R$ 5 mil. Não seria de uma vez, mas daria para até o final do mandato fazer isso. Não conseguimos por causa da pandemia. Nós nos endividamos em mais R$ 700 bi, não deu pra atender. Vamos ver se para o ano que vem pelo menos passe de R$ 2 mil para R$ 3 mil”, assinalou o chefe do Executivo.

No último dia 5, o mandatário do país disse a apoiadores que “o Brasil está quebrado” e que ele não consegue fazer nada. Bolsonaro citou uma mudança estudada na tabela do Imposto de Renda.

“O Brasil está quebrado, chefe. Eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela de Imposto de Renda. Tem esse vírus potencializado por essa mídia que nós temos aí. Essa mídia sem caráter que nós temos. É um trabalho incessante de tentar desgastar para retirar a gente daqui para voltar alguém para atender os interesses escusos da mídia”, disparou o presidente, na ocasião.

Paralisação dos caminhoneiros

Diante da ameaça de paralisação de caminhoneiros a partir de 1º de fevereiro, Bolsonaro anunciou que vai zerar a tarifa de importação de pneus. A isenção, segundo ele, será válida a partir da próxima semana.

“Na semana que vem deve estar zerada a tarifa de importação de pneus para os caminhoneiros, que passam dificuldades”, declarou. O chefe do Executivo também disse já ter conversado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a esse respeito. A isenção da tarifa passa pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), vinculada à pasta de Guedes.

O ato foi aprovado em reunião do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) em dezembro do ano passado. Os caminhoneiros protestam contra a alta do preço do combustível (em dezembro, o óleo diesel S10 era encontrado, em média, a R$ 3,683 no país, segundo dados da ANP) e o projeto de lei (PL) da BR do Mar.

Em maio de 2018, uma paralisação nacional da categoria gerou desabastecimento em várias regiões do país.
Metropoles