Conectado por

Agronegócios

Bolsonaro diz que pode faltar fertilizante


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

Durante um evento no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro falou que teme que haja crise no abastecimento de alimentos no ano que vem. Segundo ele a redução na produção de fertilizantes na China pode afetar a produtividade das lavouras brasileiras.

“Vou avisar um ano antes: fertilizantes. Por questão de crise energética, a China começa a produzir menos fertilizantes. Já aumentou de preço, vai aumentar mais e vai faltar. A cada cinco pratos de comida no mundo, um sai do Brasil. Vamos ter problemas de abastecimento no ano que vem”, destacou.

Bolsonaro disse que já conversou sobre o assunto com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina e com membros da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA) em um café que ocorreu nesta semana. Também destacou que o governo trabalha desde março em um plano emergencial para o país por meio da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE).

“Pedi agora a uma pessoa nossa que trabalha nos Estados Unidos, Itamaraty, né, ir nos mercados, alguns embaixadores da Europa também, mostrar o que está acontecendo. Lá não é apenas inflação, está havendo desabastecimento”, afirmou o presidente.

Também na quinta-feira (7) Tereza Cristina convocou uma reunião com representantes da indústria de insumos agropecuários com a presença da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) e do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindveg). O objetivo é intensificar o diálogo com os fornecedores para evitar uma crise. A preocupação está na crise energética da China e política em Belarus (país do Leste Europeu), principais fornecedores, aliada às altas dos custos dos fretes marítimos.

A previsão é que a safra 2021/22 atinja 288 milhões de toneladas de grãos, um avanço de 14% em relação à safra passada. O Brasil é dependente da importação de fertilizantes, comprando cerca de 85% do que demanda. Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), de janeiro a agosto deste ano, o país importou 24.8 milhões de toneladas de fertilizantes. No mesmo período de 2020 haviam sido 21 milhões de toneladas. O destaque foram os nitrogenados, um dos principais fertilizantes para o plantio de milho, que  saiu de 6,2 milhões de toneladas em 2020 para 7,8 milhões em 2021.

Agrolink.com.br

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!
Publicidade
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento