Conectado por

Polícia

Bandidos sequestram helicóptero e obrigam piloto a ir até o Complexo de Bangu


Compartilhe:

Publicado por

em

Dois homens sequestraram um helicóptero particular após apontarem uma arma para o piloto e ordenarem que ele fizesse o trajeto até o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. A ação ocorreu na tarde deste domingo.
O piloto Adonis Lopes, que também é piloto da Polícia Civil, desde 1988, foi chamado para fazer uma viagem, a partir da Lagoa, mas desconfiou dos passageiros, já no ar. Rendido com uma arma, ele recebeu a ordem de ir até o complexo penitenciário, que fica localizado ao lado do 14ºBPM (Bangu).
O momento em que a aeronave faz essa simulação de queda foi filmado por policiais do 14ºBPM (Bangu), que estavam no pátio da unidade. ( VEJA VIDEO ABAIXO)
Em contato, a Secretaria de Administração Penitenciária confirmou que soube da ocorrência, mas que no conjunto prisional não há alterações. O caso foi encaminhado para a Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas).
Confira a nota enviada pela Polícia Civil:
“A Polícia Civil esclarece que dois passageiros contrataram um voo para Angra dos Reis pela manhã com retorno previsto para esta segunda-feira. No final da tarde informaram que voltariam hoje, como o piloto que fez o voo não estava se sentindo bem, solicitou ajuda de outro colega. Após a decolagem o piloto que substituiu o que passou mal foi rendido e avisado que deveria ir para o presídio de Bangu.
Durante o trajeto o piloto realizou uma manobra para pousar em um batalhão da Polícia Militar. Ao perceber a manobra, os marginais agarraram o piloto e o comando, que entrou em luta corporal com os criminosos.
Após alguns segundos, percebendo que o helicóptero cairia, deixaram o piloto voltar a conduzir a aeronave. Os bandidos desistiram do plano e mandaram o piloto seguir para Niterói, onde pularam do helicóptero em uma área de mata que, em seguida, pousou no Grupamento de Aeromóvel da Polícia Militar de Niterói.
Buscas foram realizadas na região para localizar os criminosos. O caso foi registrado na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO), que será investigado para identificar, prender os bandidos e esclarecer todos os fatos”.
O DIA
Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento