Conectado por

Artigos & Colunas

Árvore-Vida – Por Luiz Carlos Amorim

Publicado por

em

É bom que lembremos que sempre é Dia da Árvore e precisamos comemorá-la todos os dias, porque ela representa a vida neste nosso planeta tão maltratado. E eu volto ao assunto sempre, mas hoje é porque está aí a data comemorativa que inventaram para não esquecermos da sua importância: 21 de setembro. E também porque no dia 23 começa a primavera, a estação mais bonita, quando as árvores se vestem, de novo, de verde e de cores.

Continua após a publicidade

Como eu já disse e digo sempre, eu gosto de árvores. E parabenizo a todas elas, que nos dão tanto, a todos nós, limpam o ar que respiramos e nós cuidamos tão pouco delas…

Que não nos lembremos de refletir sobre o valor das árvores em nossas vidas apenas num dia do ano reservado a elas. Precisamos nos conscientizar que sem elas, não sobreviveremos neste planeta que já foi mais azul. Se não protegermos nossas matas, nosso verde, a água desaparecerá e tudo virará deserto. E a vida não resiste em desertos.

E além disso, da preocupação com o verde do nosso planeta e com a água que não pode faltar, ando preocupado porque o ipê da minha rua, majestosa árvore que sempre floresceu lindamente, nosso sol particular que deveria estar iluminado, irradiando luz por todo o bairro, está triste, sem folhas, sem nenhum botão de flor. Achei que tinha visto, outro dia, alguns botões começando a aparecer na ponta de algum galho, mas nada. Espero que a árvore, a mascote da nossa rua, não esteja morrendo, como os pés de jacatirão ao lado de um grande supermercado, que estão secando um a um.

Há um outro pé de ipê na mesma rua, menor, e ele não está fechado de flores, mas está florescido, humilde e tímido, jogando um pouco de luz por nossos olhos adentro. Hoje, quando passei por ele, lembrei da viagem que fiz, no final de semana, para o norte do nosso Estado catarina. No caminho e nas cidades visitadas, grandes concentrações de luz, belíssimos ipês carregados de flores. Este ano ele não estão florescendo tanto como no ano passado, mas sempre é um espetáculo grandioso.
A minha amiga Urda, pra completar, me enviou um apresentação de fantásticos ipês amarelos, brancos, roxos, vermelhos, rosa, um mais belo que o outro. Nem sabia que eles tinham tantas cores diferentes.

Então, querido leitor, onde quer que esteja, saia à rua e procure na sua cidade, que com certeza encontrará uma ilha de sol faiscando luz pra você. Olhe para o chão, também, que deverá encontrar um tapete de luz a seus pés, o que indica que um ipê amarelo floriu. E olhe para todas as árvores, desde a mais humilde até a mais majestosa e lembre-se que elas representam a vida. Precisamos cuidar mais delas. Plante uma árvore. Adote uma árvore. Cuide de uma árvore. Cuide da água, que sem água não haverá árvore. E sem árvores não exisitiremos nós, irmãos gêmeos da natureza, pequenos filhos da terra.

                          

Luiz Carlos Amorim é fundador e presidente do Grupo Literário A ILHA em SC, com 39 anos de atividades e editor das Edições A ILHA. Ocupante da cadeira 19 da Academia Sul Brasileira de Letras.

Editor de conteúdo do portal PROSA, POESIA & CIA. e autor de 32 livros de crônicas, contos e poemas, três deles publicados no exterior. Colaborador de revistas e jornais no Brasil e exterior – tem trabalhos publicados na Índia, Rússia, Grécia, Estados Unidos, Portugal, Espanha, Cuba, Argentina, Uruguai, Inglaterra, Espanha, Itália, Cabo Verde e outros, e obras traduzidas para o inglês, espanhol, bengalês, grego, russo, italiano, francês -, além de colaborar com vários portais de informação e cultura na Internet, como Rio Total, Telescópio, Cronópios, Alla de Cuervo, Usina de Letras, etc.
O autor assina, também, o Blog CRONICA DO DIA, em Http://lcamorim.blogspot.com

Editor de conteúdo do portal do Grupo Literário A ILHA, em Http://www.prosapoesiaecia.xpg.com.br

 

VEJA AINDA:

Amazônia, meu amor – Por Luiz Carlos Amorim

O incêndio na Amazônia é uma coisa terrível, não só para o Brasil como para todo o mundo. Sabemos que todo aquele verde e…

Dia do operário das letras – Por Luiz Carlos Amorim

E chega o dia 25 de julho, um dia para homenagear nossos escritores, um dia para homenagear os operários da palavra, como Júlio de…

Douro – Ecantamento e belez- Por Luiz Carlos Amorim 

Já estive no Douro, há quase dez anos, quando comecei a vir para Portugal, levado por Pierre Aderne e Daniela, e agradeço a eles…

Olha o outono ai! – Por Luiz Carlos Amorim

Um friozinho ameno à noite já pode ser sentido: o outono chegou e chegou na hora certa. O descompasso do clima, causado pelo desrespeito…

Escritores do Brasil para o Mundo – Por Luiz Carlos Amorim

A revista Escritores do Brasil está chegando aos quatro cantos do mundo e está fazendo o seu papel, qual seja o de  proporcionando que a…

A poesia na música – Por Luiz Carlos Amorim

Mais uma iniciativa interessante e meritória para popularizar a poesia. Ao invés de distribuir a poesia impressa, ou exibi-la em varais como se fosse…

Escritores do Brasil – Por Luiz Carlos Amorim

A estreia da revista ESCRITORES DO BRASIL, das Edições A ILHA do Grupo Literário A ILHA foi um sucesso. Milhares de acessos, leitores por…

Livro, todo dia – Por Luiz Carlos Amorim

O dia 29 de outubro é o Dia Nacional do Livro. Livro, este objeto mágico que pode trazer no seu interior um mundo de conhecimento,…

Eleições sem candidatos – Por Luiz Carlos Amorim

O circo de piadas, caras e bocas e mentiras está de volta: começou a propaganda eleitoral no rádio, na televisão, nos jornais, etc. Ainda…

Linguagem – Por Luiz Carlos Amorim

Recebi, há uns dois anos, do meu amigo Nuno Rebocho, escritor e editor de Cabo Verde, os originais do seu livro “A segunda Vida…

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *