Conectado por

Agronegócios

Arrecadação do governo do Mato Grosso sobre a soja deve crescer 19%

Publicado por

em

A mensagem do governo de Mato Grosso enviada no dia 10 de janeiro para a Assembleia Legislativa, com o objetivo de alterar a Lei nº 7.263, de 27 de março de 2000, que criou o Fethab, trouxe alterações significativas para o agronegócio do estado.

Continua após a publicidade

A mensagem do governo de Mato Grosso enviada no dia 10 de janeiro para a Assembleia Legislativa (ALMT), com o objetivo de alterar a Lei nº 7.263, de 27 de março de 2000, que criou o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), trouxe alterações significativas para o agronegócio do estado, entre elas o aumento expressivo das alíquotas dessa contribuição aos setores produtivos da soja, algodão, bovinocultura e madeira e a inclusão do milho e da carne. O diagnóstico é do Fórum Agro MT – composto pelas entidades Famato, Aprosoja, Ampa, Acrimat, Acrismat e Aprosmat.

O grupo declara que vem, desde o início, debatendo com as lideranças dos poderes Executivo e Legislativo de Mato Grosso os impactos que o novo projeto do governo causará para a economia mato-grossense.

As lideranças do setor assinalam que trabalharam exaustivamente em uma contraproposta para que os impactos do projeto do governo sobre as margens líquidas da produção e da competitividade do setor fossem minimizados. Acentuam que o setor produtivo rural já contribui substancialmente com os impostos arrecadados, mas precisa, assim como a sociedade em geral, visualizar o retorno desses recursos nos serviços essenciais que competem ao Estado fazer nas áreas da educação, saúde, segurança pública, infraestrutura, entre outros.

Segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), neste ano o Estado pode vir a arrecadar R$ 897,36 milhões do setor da soja, representando uma alta de 19% em relação ao ano passado. No caso do milho, a contribuição pode chegar a R$ 177,40 milhões, considerando os 77% da produção que sai do estado para outras Unidades da Federação ou para a exportação. No algodão, o salto previsto é de 454%, indo para R$ 177 milhões de recursos arrecadados.

No setor da bovinocultura de corte, a previsão da contribuição também aumentou significativamente com a inclusão das carnes e miúdos para a exportação e para o gado em pé que sai do estado, assim, estima-se que o valor suba de R$ 168,76 milhões para R$ 198,82 milhões, resultando em um aumento de 17,81%. Portanto, o volume total que o governo pretende arrecadar este ano com os setores da soja, milho, algodão, gado e madeira pode passar dos R$ 971,98 milhões, de 2018, para R$ 1,47 bilhão.

O Fórum Agro MT informa que irá avaliar a legalidade das decisões tomadas, acompanhar ainda mais de perto o destino dos recursos arrecadados e cobrar para que sejam efetivamente utilizados nas áreas em que serão distribuídos, principalmente nas obras de infraestrutura.

https://https://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/arrecadacao-do-governo-do-mt-sobre-a-soja-deve-crescer-19-180211

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *