Conectado por

Aripuanã

Aripuanã :Secretaria Municipal de Saúde realiza ação preventiva contra malária no garimpo


Compartilhe:

Publicado por

em

Dia 25 de abril é o “Dia Mundial de Luta Contra Malária”. A data, instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2007, tem a finalidade de reconhecer o esforço global para o controle efetivo da malária.

Em Aripuanã esta luta não é diferente, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, vem trabalhando duramente desde o início do ano em estratégias que visam o combate e a prevenção da malária na cidade. Os esforços contam com a dedicação de toda equipe e também com a parceria de algumas entidades que ajudam a otimizar esforços no combate à malária no município.

O trabalho promove diversas ações de prevenção em locais estratégicos da cidade. Um exemplo foi a ação desenvolvida no Garimpo “Curimã”, onde foi disponibilizado 100 mosquiteiros MILD (Mosquiteiros Impregnados de Longa Duração) para atender uma solicitação da Coopemiga (Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros de Aripuanã).

Equipes da Secretaria Municipal de Saúde se deslocaram até o garimpo para realizar a instalação dos mosquiteiros que agora ajudam a minimizar os riscos de infecção e transmissão na localidade, que possui maior incidência de casos de malária.

Sobre a malária:

A malária é uma doença infecciosa febril aguda transmitida pela picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo microrganismo Plasmodium.

Sintomas:

Os sintomas mais comuns são: calafrios, febre alta (no início contínua e depois com frequência de três em três dias), dores de cabeça e musculares, taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), aumento do baço e, por vezes, delírios. No caso de infecção por Plasmodium falciparum, também existe uma chance em dez de se desenvolver o que se chama de malária cerebral, responsável por cerca de 80% dos casos letais da doença.

Além dos sintomas correntes, aparece ligeira rigidez na nuca, perturbações sensoriais, desorientação, sonolência ou excitação, convulsões, vômitos e dores de cabeça, podendo o paciente chegar ao coma.

Transmissão:

O protozoário é transmitido ao homem pelo sangue, geralmente através da picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada por Plasmodium ou, mais raramente, por outro tipo de meio que coloque o sangue de uma pessoa infectada em contato com o de outra sadia, como o compartilhamento de seringas (usuários de drogas), transfusão de sangue ou até mesmo da mãe para feto, na gravidez.

Tratamento:

Em geral, após a confirmação da malária, o paciente recebe o tratamento em regime ambulatorial, com medicamentos que são fornecidos gratuitamente em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Somente os casos graves deverão ser hospitalizados de imediato. O tratamento indicado depende de alguns fatores, como a espécie do protozoário infectante; a idade do paciente; condições associadas, tais como gravidez e outros problemas de saúde; gravidade da doença.

Prevenção:

– Medidas de prevenção individual: uso de mosquiteiros impregnados ou não com inseticidas, roupas que protejam pernas e braços, telas em portas e janelas, uso de repelentes.

– Medidas de prevenção coletiva: drenagem, obras de saneamento para eliminação de criadouros do vetor, aterro, limpeza das margens dos criadouros, modificação do fluxo da água, controle da vegetação aquática, melhoria da moradia e das condições de trabalho, uso racional da terra.

Prefeitura de Aripuanã