Conectado por

Nacional

Após fuga de Lázaro Barbosa, caseiro diz que tem de pedalar quase 20 km por dia para não dormir em fazenda


Compartilhe:

Publicado por

em

Um morador da zona rural onde são feitas as buscas por Lázaro Barbosa está pedalando quase 20 km todos os dias para dormir longe de casa. Ele diz que faz o trajeto há quatro dias por receio de que o fugitivo apareça. Durante os 15 dias em que é procurado, o suspeito de matar uma família em Ceilândia, no DF, já invadiu diversas propriedades, fez pessoas reféns e trocou tiros com policiais e com um caseiro.

“Não pode um negócio desses, não. Eu tenho de largar meus bichos todos com fome, meus cachorros, meus porcos, galinhas e dormir em Girassol todo dia por causa de um pilantra desses”, desabafou o homem, que preferiu não se identificar.

O homem contou que trabalha em uma propriedade em Cocalzinho de Goiás, onde as buscas por Lázaro acontecem. Como é caseiro, ele dormia no local. No entanto, desde sábado (19), ele passou a ter de pedalar 8 km para se deslocar da fazenda até a casa de parentes, no distrito de Girassol, para dormir.

 

Após fuga de Lázaro Barbosa, caseiro diz que tem de pedalar quase 20 km por dia para não dormir em fazenda   — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Após fuga de Lázaro Barbosa, caseiro diz que tem de pedalar quase 20 km por dia para não dormir em fazenda — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

“Eu trabalho na chácara e estou tendo que ir dormir em Girassol. Todos os dias, pela manhã e à tarde, eu estou fazendo esse trajeto, dá 18 km por dia”, explicou.

O caseiro tem 45 anos e mora na cidade desde que nasceu. Ele disse que não conhece Lázaro e que está tentando tomar cuidado.

“A gente tem que se precaver, mas é uma situação que já passou dos limites”, desabafou.

 

Grupo leva alimento para animais que passam fome em fazendas onde há buscas por Lázaro, GO

Grupo leva alimento para animais que passam fome em fazendas onde há buscas por Lázaro, GO

Animais com fome

Um grupo de moradores da região se reuniu para alimentar os animais que vivem em chácaras e fazendas da região . O motivo é que, desde que a caçada ao Lázaro começou, eles deixaram de ficar nos locais, por medo do criminoso.

A fazendeira Adenaide Mariana Oliveira, de 49 anos, disse que deixou sua chácara há seis dias. Segundo ela, os moradores de Cocalzinho estão se organizando em grupo de mensagens para se revezarem na alimentação dos animais.

“A gente tá vindo para olhar né. Porque alguns fazendeiros já até perderam porcos, cachorros. Porque a gente sai diante do terror que está acontecendo aí fica até sem poder alimentar ou dar água. Muitos morreram de fome”, contou.

 

Grupo de fazendeiros que deixou chácaras por medo de Lázaro se une para alimentar animais: ‘Muitos morreram de fome’ — Foto: Guilherme Rodrigues/G1

Grupo de fazendeiros que deixou chácaras por medo de Lázaro se une para alimentar animais: ‘Muitos morreram de fome’ — Foto: Guilherme Rodrigues/G1

Cronologia da fuga

  • 9 de junho: Lázaro invadiu uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Roubou a chácara após o assassinato da família. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele;
  • 11 de junho: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás logo em seguida.
  • 12 de junho: Ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região, sendo que dois estavam em estado grave até sábado (19).
  • 13 de junho: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 após avistar uma barreira policial, dando sequência à fuga para uma mata.

 

VÍDEO: Os passos de Lázaro Barbosa nos últimos dias

VÍDEO: Os passos de Lázaro Barbosa nos últimos dias

  • 14 de junho: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido. Lázaro foi filmado no curral de uma fazenda entre os distritos de Edilândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. O caseiro diz que o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata;
  • 15 de junho: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia. Uma parente da família relatou os momentos de pânico;
  • 16 de junho: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural.
  • 17 de junho: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de segurança pública acredita que ele esteja ferido;

 

VÍDEO: Quem é Lázaro Barbosa, fugitivo procurado por mais de 200 agentes

VÍDEO: Quem é Lázaro Barbosa, fugitivo procurado por mais de 200 agentes

  • 18 de junho: durante buscas o secretário de segurança pública disse que acredita ter visto Lázaro. Segundo PRF, ele foi visto em um chiqueiro durante a tarde, mas fugiu novamente para vegetação;
  • 19 de junho: a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas, depois que um morador afirmou ter visto Lázaro em uma gruta da região. No mesmo dia, a cadela que atuou nas buscas pelas vítimas da tragédia de Brumadinho chegou a Cocalzinho de Goiás;
  • 20 de junho: as buscas por ele foram intensificadas por policiais civis, militares e federais. Foram usadas três aeronaves e cinco cães farejadores na caçada.
VÍDEO: Polícia busca criminoso que matou casal e dois filhos no DF

VÍDEO: Polícia busca criminoso que matou casal e dois filhos no DF

  • 21 de junho: Pela manhã uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área. Militares de vários batalhões vasculharam casas rurais em busca de pistas e rastros que Lázaro possa ter deixado;
  • 22 de junho: policiais retomam buscas por Lázaro e recebem rádios comunicados do Exército Brasileiro com alcance de 30km. Pela manhã, equipes periciaram um carro que foi encontrado queimado e, à tarde, um lençol e um serrote, que foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado, em Águas Lindas de Goiás. À noite, um novo cerco foi montado após troca de tiros entre caseiro e suposto invasor.

 

G1.globo.com

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento