Conectado por

AL/MT

Após disponibilizar R$ 10 mi, AL promete aprovar auxílio de R$ 150 nesta quarta


Compartilhe:

Publicado por

em

Amensagem  do Executivo que cria o auxílio Ser Família Emergencial já foi encaminhada à Assembleia   e deverá ser votada em caráter emergencial ainda nesta quarta  (17)  em  primeira  e segunda votações, conforme o presidente da Casa, deputado estadual  Max Russi (PSB).  Com a aprovação da maioria dos deputados, a proposta retorna ao Executivo estadual para sanção do governador Mauro Mendes (DEM). A medida passa a valer  a partir da data de sua publicação  no  Diário Oficial do Estado (DOE).

  Max Russi   participou nesta terça  (16) do lançamento  Ser Família Emergencial  que visa atender 100 mil famílias em extrema pobreza, em Mato Grosso. A ação é coordenada pelo Governo do estado, por meio da primeira-dama, Virgínia Mendes e a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setacs) em parceria com Assembleia.

Segundo Max Russi, idealizador do Pró-Família, hoje intitulado  Ser Família, quando foi secretário estadual de Assistência Social, o Legislativo já disponibilizou R$ 10 milhões ao programa,  resultado  da economia do duodécimo. O valor,    somado  aos R$ 35 milhões do Governo do, oriundos da Fonte 100, serão convertidos em cartões com valores individuais de R$ 150 por família.

Ver a pessoa passando fome, sem ter o que dar aos seus filhos é dolorido. Dói na alma da gente

Primeira-dama de MT, Virgínia Mendes

“A Assembleia mais uma vez conseguiu economizar e ser parceira e de forma muito importante, que é auxiliar quem mais necessita nesse momento tão difícil que Mato Grosso e o Brasil inteiro está vivendo. Temos homens e mulheres que precisam ser socorridos e o Governo do Estado e a Assembleia se fazem presentes, proporcionando um recurso que parece ser simples, mas que faz a diferença na vida de cada família”, considerou Max Russi, lembrando que o  objetivo do programa é atender famílias em vulnerabilidade econômica, diretamente atingidas pela pandemia do novo coronavírus.

“A Assembleia Legislativa está colaborando muito, presidente Max Russi, outros deputados da nossa base também nos apoiando. Estão participando com R$ 10 milhões, dos R$ 35 milhões que serão aplicados inicialmente. Programa que vai alcançar 100 mil famílias em condições vulneráveis, sob o ponto de vista daquilo que está definido pelo Cadastro Único que, é amplamente conhecido e divulgado e que pode ser verificado e fiscalizado por qualquer cidadão de Mato Grosso e pelos órgãos de controle”, ressaltou o governador Mauro Mendes.

Conforme a primeira-dama, o momento é muito difícil. Por isso, afirma que  ajudar quem mais necessita alimenta também a alma.

“É uma emoção muito grande poder ajudar essas pessoas e sobretudo, alimenta nossa alma também. Porque ver a pessoa passando fome, sem ter o que dar aos seus filhos é dolorido. Dói na alma da gente. E, por isso fiz esse pedido. Um pai e uma mãe suportam tudo, menos ver o filho passando fome e a gente tem muitas pessoas passando fome nesse estado. Eu vim de família pobre. Sei o que é passar fome, porque presenciei várias pessoas nessas condições ao meu lado e, acho que minha missão com Deus é ajudar quem mais precisa”, observou Virgínia.

De acordo com a Setacs, em Mato Grosso existem 389 mil pessoas vivendo em extrema vulnerabilidade social, o que corresponde a 132 mil famílias. Desse total, 100 mil famílias serão atendidas de imediato, as demais, a pasta tenta localizá-las.

“São famílias que não fazem parte do Cadastro Único, porém a secretaria já trabalha para identificar essas 32 mil famílias, para que também sejam amparadas pelo auxílio”, explicou a secretária da pasta, Rosamaria Carvalho ao informar, também, que se trata de famílias que sobrevivem com até R$ 89 per capita.

Participaram do lançamento do auxílio os deputados estaduais  Eduardo Botelho (DEM), Dilmar Dal Bosco (DEM), Carlos Avalone (PSDB), Nininho (PSD), João Batista (PROS), Sebastião Resende (PSC), Doutor João (MDB), Wilson Santos (PSDB) e Valmir Moretto (PRB).

 

Rdnews