Conectado por

Acre

Após 13 anos, caminhoneiro que foi roubado e virou morador de rua no Acre reencontra irmãos


Compartilhe:

Publicado por

em

Publicações em grupos de vendas na internet levaram uma família do Paraná a reencontrar Nilson Batista Marques, de 60 anos, que estava sem dar notícias há mais de 13 anos. O idoso é uma figura conhecida em Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, e estava vivendo nas ruas da cidade desde 2008.

Cheio de muita emoção, o reencontro entre os três irmãos aconteceu nessa quinta-feira (15), depois de uma verdadeira mobilização. Nesta sexta (16), Marques está sendo levado de volta pela família que ficou tantos anos sem notícias de seu paradeiro.

O morador de rua veio de uma família de caminhoneiros e também atuava na profissão. Em 2002 partiu para o Acre e chegou a trabalhar por três anos na capital, Rio Branco. Mas, desde o ano de 2008 ele não dava nenhuma notícia à família. A última ligação foi para o irmão Nivaldo Batista Marques, de 55 anos, quando relatou que estava em Cruzeiro do Sul.

“Desde então não sabíamos se estava vivo ou morto. A última vez que ele ligou para mim estava em Cruzeiro do Sul, por isso foi. Meu filho mais velho entrou em contato com grupos de compra e venda em Cruzeiro do Sul e mandou foto dele mais novo e outra envelhecida. No outro dia, o povo começou a ligar pra gente. Aí um rapaz fez uma videochamada com ele em uma churrascaria aonde sempre pegava marmita e foi quando descobrimos que ele estava vivo. Resgatamos ele, graças a Deus com a ajuda do povo e hoje ele vai para Santa Catarina morar comigo”, disse o irmão.

Outro irmão que acompanhou o resgate foi o caminhoneiro Nelson Batista, de 62 anos. Ele relembrou o sofrimento todos esses anos sem saber sobre Marques e comemorou o reencontro.

“A gente está muito emocionado de levar ele embora. São quase 14 anos sem dar notícias, hoje para nós é uma alegria que a gente vai retornar com ele. Desde moleque estudamos juntos, crescemos juntos, fizemos nossas artes de moleque juntos. Muitas noites dentro da cabine do meu caminhão eu chorei de saudade dele sem saber aonde ele estava. Então, a emoção é muito grande de encontrar ele de novo.”

Após reencontro, irmãos levaram Nilson Batista levaram ele de volta para casa — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica

Voltar a ser caminhoneiro

Marques contou que ainda trabalhou quando chegou em Cruzeiro do Sul, em 2008, mas que foi roubado por um usuário de drogas e perdeu todos os documentos. Foi então que não conseguiu mais arranjar trabalho e passou a morar na rua.

“Não aguentava mais pegar serviço pesado por conta da idade e na minha profissão na área de caminhoneiro tinha que estar com documento, aí fui para frente do banco, pra ver o que dão para não ser ladrão. O pessoal daqui me ajudou muito, me acolheu, nunca passei fome”, contou.

E o sonho do agora ex-morador de rua é poder voltar a atuar em sua profissão. Ele agradeceu ainda a acolhida que teve do povo de Cruzeiro do Sul e disse que a cidade vai deixar saudades.

“Estou muito feliz que meus irmãos estão aqui para mudar minha situação, voltar a ser o que era, caminhoneiro profissional, é o que desejo. Quero deixar meu abraço ao pessoal de Cruzeiro do Sul que foi muito hospitaleiro comigo, vou partir com muita saudade. Essa foi a cidade que mais gostei, morei 13 anos. Não vou esquecer daqui, os cruzeirenses vão morar no meu coração. Não foram dias fáceis, passei por bastante dificuldade, mas entreguei na mão de Deus.”

G1.globo.com