Conectado por

Acre

Aos 39, diarista aprende a ler e escrever no Detran para tirar primeira habilitação no Acre


Compartilhe:

Publicado por

em

Ir para à sala de aula depois de adulto às vezes é uma tarefa árdua. Mas, dependendo da motivação, o esforço vale a pena. É assim para a turma que frequenta a sala de aula no Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran-AC). O objetivo das pessoas é serem alfabetizadas para tirar a primeira habilitação ou até mesmo renovar o documento.

Maria de Jesus Vieira, de 39 anos, vai tirar a primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e conta sobre a expectativa de frequentar a sala de aula e ser alfabetizada depois de adulta e com um propósito específico.

“É motivo de muita alegria e um sentimento de liberdade saber que estou me preparando para dirigir o meu carro e não vou mais depender de ninguém”, comemora.

Hoje, Maria diz que já sabe ler e os professores afirmam que ela já pode dar entrada no processo para tirar o documento. Mas, para isso, foram alguns meses de estudo, e, finalmente, aprender a ler.

“Já leio um pouco, mas passei o ano de 2018 todo estudando. Depois fui para o ensino regular também. Agora, estou nos dois. Segundo a professora, já estou pronta para tirar a carteira. Mas, vou continuar estudando, principalmente porque agora vou precisar juntar dinheiro para tirar a minha carteira”, conta.

A diarista Maria de Jesus estuda para tirar a primeira habilitação — Foto: Arquivo pessoal

A diarista Maria de Jesus estuda para tirar a primeira habilitação — Foto: Arquivo pessoal

Maria fala que tem um carro e para utilizar o veículo precisa que o filho dirija para ela. “Vai ser uma liberdade não precisar mais de ninguém”, acrescenta, sobre a expectativa de realizar o sonho da primeira habilitação.

Núcleo pedagógico

O Núcleo de Apoio Pedagógico do Detran-AC foi criado em 2011 para dar apoio a pessoas que necessitam tirar a primeira via da CNH ou renovar o documento. A sala de aula foi criada em 2017.

A turma de 2019 iniciou as atividades no dia 4 de fevereiro e recebe 15 alunos que estudam em média três horas diariamente com professores qualificados, segundo ressalta a coordenadora de Educação de Trânsito do Detran-AC, Cleia Machado.

“A gente já recebe da corregedoria essas pessoas desde 2011 mas, só a partir do começo de 2017 a gente começou a sala de aula para alfabetizar essas pessoas”, explica Cleia.

Além de Maria, a turma recebe outros futuros condutores como o carpinteiro Antônio Vasconcelos, de 44 anos. Ele diz que quando decidiu tirar a CNH encontrou dificuldades quando o departamento informou que era obrigatório saber ler e escrever.

Animado, Vasconcelos fala que vai poder pilotar a própria motocicleta. “Estou adorando, é uma boa ajuda para a gente. Estou lá há quatro meses e vou continuar”, comemora.

Acesso à comunidade

A coordenadora de Educação do Detran explica ainda que o serviço é disponível para a comunidade e que qualquer um pode ter acesso. Ela ressalta que as aulas não são pré-requisito para a retirada da carteira, mas funcionam como um auxílio para aqueles que precisam.

“A nossa sala de aula não é um pré-requisito para a pessoa tirar a carteira de habilitação. A gente só auxilia as pessoas de forma que elas aprendam a ler e escrever, sem influenciar no processo delas, seja de renovação ou primeira habilitação”, complementa.

Vasconcelos diz que soube da informação por um amigo que ia renovar a CNH e precisou estudar e aproveitou a oportunidade para também buscar os meios necessários para tirar a primeira habilitação.

“Eu lia um pouco, mas não era suficiente. Soube por um amigo que ia renovar a carteira e precisava estudar e me indicou”, conclui.

Mudança na legislação

Desde 1997, a legislação de trânsito exige que o condutor saiba ler e escrever tanto para renovação da CNH, como candidatos a primeira habilitação. Mas, segundo Cleia explica que no momento da renovação alguns candidatos reprovam nos exames psicotécnicos e, por isso, são encaminhados para aprimorar a leitura.

“Na realidade, alguns têm noção, sim, da leitura e escrita, acontece que na hora do psicotécnico eles ficam nervosos e findam não sabendo o que fazer. Daí, esses profissionais mandam essas pessoas para a corregedoria do Detran para passar por um processo de verificação quanto a isso”, explica sobre os candidatos à renovação.