Conectado por

Agronegócios

Alternativas para o controle da broca-do-tronco do pequizeiro


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) está realizando estudos para identificar os fatores responsáveis pela morte de pequizeiros em Japonvar (Norte de Minas). No município, a exploração econômica do pequi é responsável por cerca de 17% do produto interno bruto (PIB). Segundo informações de técnicos locais e produtores, cerca de 50% das plantas já morreram e praticamente 100% delas estão atacadas pela broca-do-tronco. Uma lagarta que está construindo túneis no interior do tronco do pequizeiro e, possivelmente, também nas suas raízes, fazendo com que o fluxo da seiva seja interrompido, levando a planta à morte. A redução da safra dessa fruta silvestre na região representa um prejuízo de 40% de todo o valor da produção.

 A primeira etapa dos estudos realizados pela EPAMIG para controle do inseto, implica na captura da lagarta sem lesões, mantendo viva e em condições adequadas para se transformar em uma mariposa (um lepidóptero de hábitos noturnos), que é a sua fase adulta. Após a transição, identifica-se o nome dessa espécie e as informações científicas disponíveis até o momento, para, assim, planejar estratégias para a proteção dos pequizeiros contra o ataque. “A extração de lagartas das raízes dos pequizeiros é necessária para o estudo de comparação entre o comportamento desse inseto nas raízes e no tronco, bem como verificar se o ataque a essas diferentes partes da planta é causado pela mesma espécie ou por espécies diferentes, e se este é o único fator”, explica o pesquisador da EPAMIG, Antônio Cláudio.

A incidência da broca do pequizeiro em Japonvar vem sendo verificada desde fevereiro de 2019. A partir de maio, extensionistas da Emater-MG e produtores procuraram o auxílio da EPAMIG e da Embrapa Cerrados para a identificação e proposição de alternativas de controle à praga. As duas primeiras viagens técnicas foram realizadas em junho, com apoio da Emater-MG. Uma terceira viagem para uma coleta maior está marcada para agosto.

A ajuda da Polícia Ambiental e dos demais Órgãos Ambientais do Estado de Minas Gerais está sendo solicitada em relação ao procedimento que será adotado, a fim de evitar qualquer sanção ou autuação por infração à Lei Estadual 10.883 de 1992, a qual “Declara de preservação permanente, de interesse comum e imune de corte, no estado de Minas Gerais, o pequizeiro (Caryocar brasiliense)”, bem como ser dispensado da reposição das plantas que eventualmente tenham que ser abatidas por força do referido estudo.

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!
Publicidade
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento