Conectado por

Polícia

Adolescente ameaça atirar em criança de 8 anos durante assalto e mãe a defende em Porto Velho


Compartilhe:

Publicado por

em

Um adolescente de 15 anos causou pânico a uma mulher, de 35 anos, e os filhos de 8 e 10 anos, na tarde desta quarta-feira (22), em uma região da Zona Leste de Porto Velho. Segundo a Polícia Militar (PM), o jovem ameaçou uma das crianças com uma arma de fabricação artesanal durante uma tentativa de assalto. O ato enfureceu a mulher, que entrou em luta corporal com o suspeito. Ela e o menor ficaram feridos.

Uma testemunha contou que o crime ocorreu quando a mulher buscava os filhos na escola, por volta das 14h. O adolescente, então, apareceu e anunciou o assalto, mandando as vítimas descerem da motocicleta.

Em choque, a criança de 8 anos não conseguia sair da moto. Vendo que a vítima não iria descer, o suspeito apontou a arma para ela, enfurecendo a mãe dos meninos.

“Eles estavam obedecendo as ordens do adolescente, mas um dos meninos não saiu da moto. Assim que viu a arma apontada para o filho, a mãe, em defesa, foi para cima dele”, disse a testemunha.

Durante a luta corporal, o adolescente efetuou um disparo e atingiu de raspão a perna da mulher. Em seguida, o outro filho da vítima, de 10 anos, agrediu o menor com uma paulada na cabeça, ferindo-o gravemente. Com a confusão, populares acionaram a PM.

Em depoimento à polícia ainda no local do crime, o adolescente informou que não tinha intenção de ferir as vítimas e que o tiro foi dado acidentalmente. Questionado sobre como havia conseguido a arma, ele disse que a adquiriu por uma pessoa que o abordou na rua e a ofereceu por R$ 200.

Entretanto, a família do menor, que foi chamada até a região onde o crime ocorreu, disse que ele não trabalhava e não souberam informar como ele conseguiu a arma. “Ele é conhecido aqui na região por ter tentado roubar outras vezes”, explicou a testemunha.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atendeu as vítimas e o adolescente. O suspeito havia sido encaminhado a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima. Porém, pela suspeita de traumatismo crâniano, foi encaminhado ao Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, na Zona Sul da capital.

A mulher e os filhos também seguiram ao João Paulo II, mas foram liberados. O adolescente continua em observação na unidade de saúde e o estado clínico, apesar da fratura grave na cabeça, é estável. O caso foi registrado na Central de Polícia da cidade.