Conectado por

Saúde

Acupuntura é alternativa para tratar dores provocadas pela fibromialgia

Publicado por

em

A pandemia ocasionada pelo coronavírus (Covid-19) trouxe a necessidade do isolamento social para evitar a transmissão da doença e, com isso, a quarentena foi adotada para incentivar a permanência das pessoas em suas casas. Apesar de extremamente necessária para zelar pela saúde da população, a medida trouxe uma drástica mudança de rotina, alterando até mesmo o esforço físico e o estímulo corporal que eram realizados com mais afinco antes da chegada do vírus no país.

A falta de movimentação é extremamente preocupante para as pessoas que sofrem com a fibromialgia, doença crônica que provoca dores generalizadas. “Podemos caracterizá-la como uma síndrome, pois engloba uma série de manifestações clínicas, como dor, fadiga, indisposição e, inclusive, distúrbios do sono”, explica Márcio Silveira, médico ortopedista da clínica Salus Ortopedia, localizada em Brasília.

Pacientes que são acometidos por este problema devem manter uma rotina de exercícios e estímulos corporais para que os sintomas sejam mais brandos, visto que ainda não há um método de cura registrado. Como alternativa para tratar a enfermidade neste período em que é preciso evitar aglomerações, a acupuntura entra em cena e se mostra uma grande aliada.

André Giusti, acupunturista da clínica, informa que a qualidade de vida dos doentes pode melhorar significativamente por trabalhar com aspectos relacionados à dor, vitalidade e, até mesmo, saúde emocional. “Esta prática tem grande efeito sobre a atividade cerebral. Por meio de exames, conseguimos enxergar intensificação do fluxo quando investimos na acupuntura. Por isso, muitos pacientes portadores de dores crônicas buscam o tratamento como alternativa”, complementa.

Outros tratamentos
Por se tratar de uma doença delicada por atingir pontos específicos do corpo, a fibromialgia precisa de atenção especial. Exercícios realizados em água aquecida, três vezes por semana, também são eficazes para combater os sintomas da síndrome.

“O método do pilates se destaca com uma boa opção para aliviar as dores ocasionadas pela doença, uma vez que são exercícios de baixo impacto para a articulação. Em pacientes com limitações físicas, é preciso ter o cuidado de ter o acompanhamento psicológico e/ou psiquiátrico. As terapias cognitivo-comportamentais, combinadas com alongamentos e suporte familiar, dão resultados positivos para os portadores da enfermidade”, complementa o acupunturista.

Fonte:metropoles