Conectado por

Nacional

A saga do catador que virou deputado


Compartilhe:

Publicado por

em

A expressão “comprar gato por lebre” geralmente é utilizada nas questões relacionadas à compra e venda de produtos ou prestação de serviços, para mencionar que o consumidor adquiriu algum objeto que pensava ser algo, porém, é outra totalmente diferente e de qualidade inferior. Isso, significa que o cliente foi “enganado”.

Vigarista

Desse modo, o eleitor pode se considerar enganado quando descobre que o político que ele votou é um tremendo vigarista corrupto. Apesar disso, o eleitor adora ser enganado, e os políticos sabem disso. Depois ficam furiosos quando descobrem que foram enganados – os políticos também sabem disso, mas não ligam para tal, desde que se elejam na próxima eleição. Sem nenhuma preocupação de agradar gregos e troianos, eles se especializam em frases de efeito que vão de uma infância pobre à catador de papel.

Pirâmide

Também pudera: a grande maioria, são eleitores que sofrem com as mesmas dificuldades daqueles políticos que saíram da miséria e chegaram ao topo da pirâmide. Refiro-me ao deputado José Eurípedes Clemente, o personagem principal deste artigo publicado no jornal Correio de Notícia e editado por Edilson Neves.

Molusco

O artigo relata a saga de um menino pobre que teve uma trajetória e tanto até chegar ao cargo de Deputado Estadual de Rondônia – essa história, poderia ser confundida com a narrativa de uma fábula de certo Molusco que veio do nada e chegou a ser presidente da república que por fim, acabou na cadeia.

Pirâmide

“Lebrão faz parte de um grupo de políticos que não nasceu no topo da pirâmide social. Teve uma infância pobre com muita dificuldade, vivia abaixo da linha da pobreza, foi catador de papel e segundo ele, muitas vezes comeu restos de frutas e verduras nos lixões da cidade”. Hoje, com 65 anos, o ex-catador é empresário e atualmente Deputado Estadual por Rondônia -, é membro efetivo da comissão de constituição e justiça, cargo que ocupa em seu segundo mandato da atual legislatura, circula pelos corredores da casa com a desenvoltura de um político bem-sucedido. Seu lema como deputado é: “Do povo para o povo”.

Lula

A trajetória de Lebrão, nos faz memorar a história do ex-presidente “Lula”. Filho de um casal de lavradores, de origem pobre, migrou ainda criança do sertão Pernambuco para São Paulo com sua família. Foi metalúrgico e sindicalista, época em que recebeu a alcunha “Lula”, forma hipocorística de “Luís”. Foi presidente por dois mandatos, porém, no final, foi condenado a mais de 8 anos de prisão, por corrupção.

Catador

A história de Lebrão, menino pobre, com baixa expectativa, assim como tantos outros Brasil a fora, “para sobreviver teve de ser catador e por se movimentar com muita rapidez e agilidade ganhou o apelido de Lebrão”, designação vulgar de uma espécie de mamífero da família dos Leporidae – uma de suas características é se locomover com muita agilidade, o macho é denominado “Lebrão”.

Roedor

Geralmente, ao longo do dia, os pequenos roedores ficam correndo atrás dos outros. Isto pode ser visto como uma disputa entre machos da mesma espécie a fim de alcançar a liderança. Sendo assim, Lebrão veio para Rondônia – cheio de esperança, determinado e muita disposição. Ágil como uma lebre, rapidamente virou empresário – e, por meio de um belo salto se tornou deputado. Uma história comovente, se não fosse o considerável imbróglio em que se meteu. Um fato totalmente despido de honestidade.

Ímprobo

Tudo indica que, Lebrão se perdeu pelo caminho, e agora, faz parte de um grupo seleto de políticos totalmente ímprobo. Isso mesmo, o Popular “Lebrão” se tornou uma fonte inesgotável de integridade moral/honestidade, um constrangimento para os demais, devido ao seu envolvimento na operação “Reciclagem”.

Nome

Curiosamente, esse nome não faz menção ao deputado Lebrão por ter sido “reciclador e/ou catador de papel”. A operação recebeu o nome por fazer referência ao ramo de atividades da empresa e a origem dos recursos ilícitos.

– Lebrão se tornou um ponto nevrálgico em relação ao “Código de ética e decoro parlamentar da casa do povo”.

O fato de ter sido gravado pela Polícia Federal no momento em que recebia dinheiro supostamente da “propinagem”, desviado do serviço de coleta de lixo da cidade de São Francisco do Guaporé, onde sua filha era prefeita, possibilitou que o parlamentar ficasse completamente desprovido de decoro e/ou decência, o rotulando como um político corrupto.

Lebrão

Aquele menino pobre chamado “Lebrão”, habilidoso na arte da sobrevivência, preferiu enveredar-se pelo caminho da corrupção, diante de tal circunstância, deverá encerrar sua carreira política amargando uma vergonhosa situação, definhando-se à frente de todos em face de um triste espetáculo que tornou sua permanência entre os 24, um tanto constrangedor.

Conselho de Ética

Pegou muito mal para Lebrão, que deverá enfrentar o “Conselho de Ética e Decoro Parlamentar”, eles terão a obrigação de manter e zelar pela observância dos preceitos do código de ética e do Regimento Interno da casa, no sentido de preservar a dignidade do mandato parlamentar.

Punição

– Se, será “punido” eu não sei! Até porque, em virtude da relevância das funções e/ou das atividades que exerce, Lebrão goza de um tratamento jurídico diferenciado. Trata-se da chamada imunidade, prerrogativas parlamentar. De qualquer forma, pelo sim e/ou pelo não, vamos acender uma vela para o bom velhinho e esperar (a tal da justiça cega).

Cassado

“Enquanto isso: se o Conselho de Ética não considerar nociva a atitude de Lebrão, ele não poderá ser cassado”, mas, considerando a gravidade do caso o colegiado pode decidir sim pela cassação, contudo, a decisão deve ser referendada pelo plenário da Casa. Ai sim, o animalzinho poderá ser abatido.

Aliviado

Acredito que por força da pandemia, o início da análise do processo pela Comissão de Ética não foi devidamente instaurado, dessa forma, o velho Lebrão poderá respirar aliviado, contudo, um tanto desconfiado da durabilidade de sua pele que ganha alguma sobrevida devido ao isolamento forçado por obra do caráter igualitário da pandemia. Todavia, paira no ar a sensação de um aroma desagradável, pois o assunto não apresenta um final feliz.

Edilson Neves

Por Edilson Neves

Fonte:Correio De Noticia