Conectado por

Religião

A perfeição de minha vida – Por Ricardo Oliveira


Compartilhe:

Publicado por

em

Tu és Senhor a perfeição de minha vida e de todos os meus caminhos! A luz que vejo ao despertar e ao deitar em meu leito para adormecer, após o dia ter terminado. Sois a esperança que me move para compreender as maravilhas, dos quais destes a honra de poder ainda enxergar. O amor sincero, indo “[…] além da cortina do santuário […]” (HEBREUS 6, 19), e por isso, meu coração se encanta com a sua presença.

Vives em mim como pão real! O alimento mais precioso existente, no qual, me alimenta constantemente e me recorda do sacrifício verdadeiro. Deus te enviou Jesus, para caminhar ao meu lado e sem demora, ouvir minhas suplicas e a de toda a humanidade. Como se sentir tão só, se temos a ti? Contemplarei teu rosto na Palavra, na Eucaristia e nos Irmãos que se aproximam de mim. Ainda não sei de muitas coisas e, talvez nem venha, a saber, entretanto, sei que em breve, estarei contigo.

O tempo publica a tua mensagem, e revela o quão doce teus lábios são. Quase não consigo imaginar outra habitação, cuja acolhida não seja esplendorosa. Esta habitação se encontra em teus braços. Ensinastes o sentido da oração do Pai-Nosso e o significado da partilha. Com todos os ensinamentos, meu ser não mensura a dimensão da caridade e do se fazer de si mesmo, o amor sublime. Isso, por eu ser apenas um homem.

E como homem, sou cheio de defeitos. Defeitos, dos quais, bem sabes quais são. Quero me jogar em teu colo e me desprender das coisas que não são do alto, mas não consigo. Há correntes que me prendem a hábitos, no qual, me levam para longe de ti. As imagens de teus olhos ficam destorcidas, quando meus pensamentos rasgam minha pele e me devoram sem ter compaixão. Cristo meu! Não sou digno de entrar em tua morada, mas dizeis uma só palavra e eu creio que serei salvo.

Como sois tão belo! Como conservas minha alma! E nem sei como te recompensar pelo tanto que fazes por mim. Pelo dom de poder a cada dia, escrever poesias e crônicas poéticas religiosas. Caros leitores e amados de Cristo, a paz é a iluminação vinda do peito aberto de nosso Deus de bondade e Salvador do povo. Acreditar é se sentir em casa e nela saber o quando somos amados. Quisera eu, ser diferente do que sou. Ser mais corajoso para ser um servo fiel.   

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento