Conectado por

Economia

5 motivos para investir em Debêntures


Compartilhe:

Publicado por

em

É fato conhecido que cada investimento funciona para momentos e perfis específicos, mas existem algumas aplicações que são mais versáteis e podem ser indicada para diversos investidores. É o caso das debêntures, pois possuem rentabilidade interessante, são seguras — se comparadas com ativos de renda variável — e são ativos de renda fixa que merece destaque.

As debêntures ainda possuem um mercado tímido, principalmente perante outros títulos de renda fixa, como o Tesouro Direto e os CDBs. Mesmo assim, são investimentos que vem conquistando cada vez mais espaço no mercado financeiro, não apenas para perfis moderados, como aplicação única, mas também para perfis mais arrojados, como forma de diversificar a carteira.

Mas, afinal, o que são debêntures?

Nada mais do que títulos de dívidas emitidos por instituições não financeiras, as debêntures são uma forma das empresas captarem recursos para financiarem seus projetos, seja para financiamento ou para outras operações básicas visando o pleno funcionamento.

Na prática, o investidor que compra uma debênture empresta dinheiro para a companhia, que, na data do resgate, devolve esse valor acrescido de juros, o que caracteriza o rendimento da aplicação. Essa taxa é fixada pela instituição que capta os recursos, a tomadora de crédito.

Ao contrário do que possa parecer, essa modalidade de aplicação não traz desvantagens para as empresas que, além de realizarem seus projetos, ainda pagam menos juros do que nos financiamentos bancários. Ou seja, trata-se de um ativo interessante para ambas as partes.

Quais são as características das debêntures?

Antes de aplicar em debêntures, é preciso conhecer as particularidades desse título. Afinal, para qualquer investimento, é preciso fazer uma análise das características a fim de compreender se é realmente um opção vantajosa para o investidor, não só pelo perfil — visto que elas são bastante versáteis —, mas sim pelos objetivos e prazos.

O primeiro ponto que é necessário conhecer sobre esses ativos é o risco. Ainda que sejam de renda fixa, as debêntures, dependendo da modalidade (como é o caso das sem garantia), existe risco de crédito, ou seja, possibilidade de calote da empresa. Para contornar esse ponto, é preciso investigar o histórico financeiro da companhia, visto que não existe cobertura do Fundo Garantidor de Crédito.

Quanto à rentabilidade, existe um leque de possibilidades. Isso porque as taxas de juros são definidas pela empresa responsável pelo título; normalmente, instituições maiores oferecem rentabilidade menor, pois possuem mais facilidade em obter crédito. Além disso, companhia menores têm melhores retornos por possuírem também mais risco de crédito.

Somente as debêntures de infraestrutura são isentas de Imposto de Renda; de resto, em todas elas incide a cobrança dessa tributação, que é regressiva conforme o tempo de aplicação — desde 22,5% para, no máximo, 180 dias até 15% para mais de 720 dias.

Por que investir em debêntures?

Diante das características desse investimento, ainda é possível considerar as debêntures uma opção bastante atrativa para investidores iniciantes e experientes, conservadores e arrojados, com diversos objetivos e prazos. Isso porque possuem algumas vantagens concretas que a tornam bastante interessante.

Variedade de escolha

São instituições de diferentes portes, setores e atuações! Na prática, as debêntures possuem características diferentes, o que resulta em várias possibilidades de investimentos. Cada empresa possui as próprias condições, rentabilidade, prazos e projeções, o que é excelente para os investidores, que podem optar por aquelas que fazem mais sentido para sua estratégia.

É uma boa vantagem, nesse sentido, perante outros títulos, pois eles possuem condições relativamente fixadas, o que diminui o leque de possibilidades dos investidores. Para os menos experientes, em específico, a variedade das debêntures permite melhor análise para encontrar opções atrativas.

Concessão de crédito

Para esse tipo de aplicação, o investidor assume o papel de credor, diferente das ações. Em ambos os casos, é concedido crédito a empresas para que elas possam financiar seus projetos, mas para as ações, muito embora o investidor possa desfrutar dos bons resultados, ainda é preciso assumir não somente a responsabilidade por certas obrigações, mas também as consequências de resultados negativos.

Para as debêntures, o investidor não se torna parte da empresa, ele apenas desfruta da rentabilidade do título, realmente como um empréstimo que o tomador de crédito deve pagar, trazendo conforto e maior tranquilidade.

Diversificação de investimentos

Por ser uma aplicação versátil, as debêntures podem facilmente ser utilizadas para compor uma carteira de ativos diversificada. Investidores mais conservadores podem usar esses títulos para atingirem melhores rendimentos, pois trata-se de uma alternativa mais arriscada dentro da renda fixa; investidores mais arrojados, por outro lado, podem usá-las como segurança, pois possuem rendimentos previsíveis, que podem cobrir a volatilidade da renda variável.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento