Professores de Primavera do Leste (MT) fazem protesto e cobram plano de carreira

228

Os professores da rede municipal de Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, fizeram nesta quarta-feira (11) um protesto para cobrar a implantação de um plano de carreira para os profissionais da educação.

A prefeitura informa que recebeu a pauta de reivindicação e está consciente sobre as solicitações de direito. A gestão esteve reunida com os líderes do movimento e firmou compromisso em atender a pauta.

O ponto principal da reivindicação é a formação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

A prefeitura aguarda a formação do plano por parte da comissão, composta pelos próprios profissionais da educação. O procedimento depende da categoria, para que a prefeitura possa avaliar a viabilidade de implantação.

“Só dentro desse plano é que vamos ter garantia da valorização de todos os profissionais da educação. O auxiliar, o zelador, quem exerce a função de serviços gerais também lida com a educação das crianças”, afirmou a professora e vice-presidente do sindicato que representa a categoria, Lienimar de Souza.

Além do plano, os professores pedem um reajuste salarial em acordo com o piso nacional. O piso nacional é de R$ 2,4 mil.

Hoje, em Primavera, o salário inicial de um professor com magistério é R$ 42 a menos que o piso nacional.

Aos professores com magistério é pago o valor de R$ 2.413,07. Os professores com graduação recebem o salário de R$ 3.378,30. Professores com pós-graduação são remunerados com a quantia de R$ 3.740,27 e aos professores com mestrado a remuneração chega a R$ 4.102,23.

Todos os valores estão calculados com o Reajuste Salarial Anual (RGA) de 2018. Para esta base de cálculo foi utilizado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), 2,07%, assim como é feito anualmente.

Compartilhe: