Número dois da Secretaria do Meio Ambiente pede exoneração do cargo

167

O secretário-adjunto da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), João Paulo Mastrangelo, teve sua exoneração do cargo publicada na edição desta terça-feira (10), do “Diário Oficial”. Mastrangelo estava como número-dois da pasta desde agosto de 2015.

De acordo com Mastrangelo, a exoneração foi feita a seu pedido. O agora ex-secretário foi aprovado no programa de doutorado em economia da Universidade de Campinas (Unicamp).

Com os estudos, Mastrangelo precisará morar em São Paulo. Ele é formado em engenharia florestal, com mestrado em Desenvolvimento Regional e professor de economia rural na Universidade Federal do Acre (Ufac).

“Como sou professor da Ufac, é muito importante eu fazer isso agora para que eu possa progredir na carreira”, explicou ele. João Paulo Mastrângelo figurava como um dos poucos membros num governo petista que ocupavam função importante apenas por sua capacidade técnica, independente de questões partidárias.

Enquanto ocupou a função, Mastrângelo foi um dos responsáveis pela implementação do novo Código Florestal no Acre. Ele conduziu o Cadastro Ambiental Rural (CAR) com a inclusão de 50 mil propriedades no banco de dados. Após o cadastramento, todos estes imóveis passarão pela fase de regularização ambiental.

No seu lugar como número-dois assumiu o também engenheiro florestal Marky Brito, servidor de carreira da Secretaria de Meio Ambiente.

A pasta ambiental voltou a ser chefiada por Edgard de Deus desde o começo da gestão Sebastião Viana (PT), que também ocupou a mesma função com Jorge Viana (1999-2006). No governo Binho Marques (2007-2010), a Sema foi liderada por Eufran Amaral.

Compartilhe: