Publicada em 15/11/2017 às 00:35

Tentando golpe político no Crea

A eleição acontece em 15 de dezembro para mandato de 2 anos. O Crea-MT conta hoje com mais de 23 mil profissionais, entre engenheiros e agrônomos.

O processo eleitoral para presidência do Crea-MT está sendo marcado por tensão, troca de farpas e tentativa de golpe político. Em princípio, seriam 5 candidatos, mas Archimedes Pereira Lima Neto desistiu. Restam 4, mas João Valente nem faz questão de divulgar que está no páreo, uma mostra do seu desinteresse pela própria candidatura.

Restam Kateri Felsky, o opositor incisivo Gerson Alves e o ex-presidente e secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Cuiabá, Juarez Samaniego (foto), que estava no 2º mandato na entidade e, espertamente e visando "driblar" normas, renunciou para se tornar conselheiro federal do Confea. Agora, Juarez concorre de novo. Essa 3ª candidatura é questionada porque, em tese, contraria resolução do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia.

A eleição acontece em 15 de dezembro para mandato de 2 anos. O Crea-MT conta hoje com mais de 23 mil profissionais, entre engenheiros e agrônomos.

Autor: rdnews
Fonte: rdnews

Comente com o Facebook