Publicada em 25/11/2016 às 11:22

OMS estima mil novos casos de microcefalia no Brasil

Ministério da Saúde aponta que mais de três mil casos de microcefalia associados ao vírus estão em investigação.

Resultado de imagem para microcefalia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o Brasil possa ter pelo menos 1 mil novos casos de microcefalia associados à infecção pelo vírus Zika durante a gestação. O comunicado foi feito diretor de Saúde Infantil da entidade, Anthony Costello, e pelo diretor-executivo do Programa de Emergências de Saúde, Pete Salama, durante coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.

"Sabemos que, no Brasil, onde o problema foi primeiramente detectado, existem hoje 2,1 mil casos confirmados, mas ainda há muitos outros sendo investigados. Esperamos que mais mil casos sejam descobertos. Sabemos que o problema não irá embora no Brasil. Todos os meses, entre 150 e 200 casos de microcefalia são identificados", comentou Anthony Costello.

O Ministério da Saúde acredita que o país tenha 3.086 casos em investigação para microcefalia associada ao Zika. Apesar da grande quantidade de casos, os especialistas devem investigar, analisar e acompanhar um a um.

O diretor de Saúde Infantil da OMS alertou sobre a falta de sistema de vigiência inexistente em muitos países: "Estamos falando de um vírus que causa danos neurológicos e potencialmente deficiência ao longo de toda a vida, o que representa um grande golpe para essas famílias."

Na última sexta-feira (18), a OMS declarou o fim da emergência sanitária internacional declarada há um ano após o aumento de casos de microcefalia associados à infecção de gestantes pelo vírus Zika.

"Não estamos diminuindo a importância do Zika ao colocar isso como um programa de trabalho mais longo, estamos enviando a mensagem de que o Zika está aqui para ficar", disse o Dr. Peter Salama.

Autor: minhavida.com.br
Fonte: minhavida.com.br

Comente com o Facebook